quarta-feira, 21 de julho de 2021

Júlio Augusto Massa – Missionário pensador

 
JORGE LAGE
O filósofo, António Aresta está ligado a Macau e à cultura macaense e apoiado no Instituto Internacional de Macau, acaba de publicar mais um livro, «Júlio Augusto Massa – Missionário pensador», inserido na colecção «Missionários para o Século XXI» (Vol. XII). É uma obra com bom grafismo, com 82 páginas. A edição é do Instituto Internacional de Macau e diz-se: «Não podem cabalmente explicar-se a identidade de Macau e o factor cultural que foi sua moção no decurso da História sem considerar a Diocese de Macau, os seus obreiros e legiões de servidores (…) o que para sempre eternizou Macau como anfiteatro da compenetração cultural Europa/China, (…) Padres, Missionários, mártires, letrados: servidores do Outro, tornado próximo, pelas obras de misericórdia, (…) Foi o século passado

 constelado por uma geração de ourode tantas figuras excepcionais em Macau radicadas (…). O Índice consta de: Introdução à vida e obra de Júlio Massa, Subsídios para uma bibliografia de Júlio Augusto Massa, Antologia de textos e poesias (depois de um AVC que o incapacitou, durante as férias, passou a escrever sonetos com facilidade) e relembrando com saudade o Padre Massa. No livro, António Aresta, refere que Júlio Augusto Massa nasceu em Freixo de Espada-à-Cinta (terra de Missionários), em 1922, filho de Joaquim Maria Massa e de Leopoldina Amália Martins e com 13 anos rumou a Macau, onde se afirmou pela sua craveira intelectual e como missionário, tendo desempenhado altos cargos na vida religiosa e civil. Doutorou-se em Filosofia na Universidade Pontifícia de Salamanca e deixou obra publicada em livros e jornais, algumas vezes com o pseudónimo de A. Tormes. Está de parabéns o escritor António Aresta, estudioso da cultura de Macau, por mais esta obra interessante obra biográfica do Padre Júlio Massa, um dos vultos de cultura macaenses, e que eu conheci em Lisboa, quando já incapacitado o visitei por sugestão do Coronel Jorge Parracho (amigo de ambos e uma figura imponente e afável) num andar da Av.ª dos Estados Unidos da América, em Lisboa, ficando com a sensação de ter conhecido um sábio e um santo.


in: NOTAS DE RODAPÉ (223) -  Noticias de Mirandela

Sem comentários:

Enviar um comentário