segunda-feira, 24 de junho de 2019

China: O Perfeito Estado Totalitário High-Tech

por Judith Bergman
22 de Junho de 2019
Original em inglês: China: The Perfect High-Tech Totalitarian State
Tradução: Joseph Skilnik
  • Na China, a censura agora automatizada em larga escala, atingiu "níveis de perfeição jamais vistos, auxiliados pela aprendizagem de máquina e reconhecimento de voz e imagem." — Cate Cadell, Reuters, 26 de maio de 2019.
  • A exemplo de outros regimes comunistas, como o da antiga União Soviética, a ideologia comunista não tolera nenhum tipo de narrativa que concorra com a dela. "A religião é uma fonte de autoridade e um objeto de fidelidade maior que o estado... Essa característica da religião sempre foi um anátema para os déspotas totalitários da história..." — Thomas F. Farr, Presidente do Religious Freedom Institute, em depoimento perante a Comissão Executiva do Congresso sobre a China, 28 de novembro de 2018.
  • Em 2018 a China contava com cerca de 200 milhões de câmeras de vigilância e planeja instalar mais 626 milhões dessas câmeras até 2020. O objetivo da China, ao que tudo indica, é montar uma "Plataforma Integrada de Operações Conjuntas", que irá integrar e coordenar dados de câmeras de vigilância operando com tecnologia de reconhecimento facial, carteira de identidade dos cidadãos, dados biométricos, placas de carros e informações sobre a propriedade do veículo, saúde, planejamento familiar, bancos e antecedentes criminais e cíveis, "atividade incomum" e quaisquer outros dados relevantes que possam ser reunidos sobre os cidadãos, como prática religiosa e viagens ao exterior e assim por diante, de acordo com registros oficiais e policiais locais.
  • Hoje a China já está realizando o que Stalin, Hitler e Mao sonhavam em realizar: o estado totalitário perfeito, com a ajuda da tecnologia digital, onde o indivíduo não tem para onde fugir do olho do estado comunista que tudo vê.
Continuar a ler neste site:
https://pt.gatestoneinstitute.org/14425/china-estado-totalitario-high-tech?fbclid=IwAR2rR7sGa-uHL6XhZ4JdQFe5F0VgWGeqtJt39jz0wkHWjzt59WzL3UojXE4


Acerca deste assunto, respigamos do facebook:

Sobre este site
ECO.SAPO.PT
Mao lançou a campanha das Quatro pragas, agora o Bloco de Esquerda quer suspender o alojamento local em Lisboa. Recomendo-lhes as publicações dos Censos.


A América e a Rússia

Nas nossas andanças pela nossa colecção em busca do Hamlet de shakespeare para relermos o solilóquio, encontrámos entre Borges e Proust, estes dois pequenos volumes. Aproveitámos para reler dois capítulos de J.D. Salinger, Kafka, Beckett e T.S. Eliot.
Estes dois pequenos volumes foram editados pela Editorial Inquérito em 2002.  Uma oportunidade de conhecer estes dois colossos: a América e a Rússia. Lêem-se num fim de semana (para quem lê pouco). 

CONVOCATÓRIA de Assembleia Geral - CTMAD - LISBOA


CONVOCATÓRIA

Cara(o) Consócia(o)
Boa tarde
Junto em anexo a Convocatória para uma Assembleia Geral Extraordinária para o dia 15 de Julho de 2019 às 18 horas.


O Presidente da Assembleia Geral
Jorge dos Santos 

Saudações transmontanas,
Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tel: 217939311 Tlm: 916824293
Campo Pequeno, 50 - 3º Esq.
1000-081 Lisboa


domingo, 23 de junho de 2019

Entrevista de MEC ao Público


MIGUEL ESTEVES CARDOSO
“Sou extremamente inteligente, tenho um grande sentido de humor e escrevo muito bem”

Nota:


A entrevista é deliciosa. Não a podemos transcrever porque são 6 páginas. E a ligação online também a não concede, porque os jornais agora criaram a mania do pagamento. Ora como nós não usamos cartões na internet, apenas nos resta, nestes casos, chamar a atenção. E quem tiver curiosidade que compre o jornal desse dia.

Um retrato lúcido da “net”, algo que faz mal a quem usa a cabeça para pensar…


                                          Imagem
                                                          relacionada

 

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Pensar-por-tu-cuenta.jpg
 1. Pense sozinho. Pesquise, investigue, leia … Se você não o
 fizer, alguém o fará em seu lugar, ensinando o que pensar, 
dizer e até mesmo sentir. Lembre-se de que educar não é 
encher a mente, mas libertá-la de seus vínculos e que, 
muitas vezes, o aprendizado mais duradouro e profundo 
são aqueles que fazemos sozinhos.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Soledad2.jpg
 2. Mais e mais conectados, mas também mais sozinhos. 
As redes sociais “satisfazem” nossa imperiosa necessidade 
de escapar da solidão, mas, contraditoriamente, fazem de nós
 uma ilha trancada em nós mesmos. Enquanto elas nos encorajam
 a nos conectar, elas tiram nossas habilidades sociais. Enquanto
 espantam o fantasma da marginalização, isolam-nos dos
 que nos rodeiam.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/TV3.jpg
 3. “A televisão pode-nos dar muitas coisas, excepto o tempo 
para pensar”, disse Bernice Buresh e Fellini, dando mais 
um passo afirmando que “a televisão é o espelho que reflecte
 a derrota de todo o nosso sistema cultural”.


https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Amores-toxicos4.jpg
 4. Existem relacionamentos tóxicos que nos prejudicam muito, 
mas mesmo assim, continuamos a mantê-los. Talvez por hábito,
 por medo de não encontrar mais ninguém, 
por simples dependência …

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Control5.jpg
 5. “Quem detém o celular como símbolo de poder está declarando 
ao mundo inteiro sua condição desesperada como subordinado”,
 disse Zygmunt Bauman. Temos certeza de que usamos o celular, 
ou a tecnologia é que nos usa? Às vezes a linha é
 tão subtil que desaparece.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Consumir-Internet6.jpg
 6. Há um novo Deus e uma nova verdade, que é compartilhada na 
Internet e impõe tecnologia, em torno da qual acabou transformando
 nossas vidas. Essa nova realidade alternativa acaba suplantando 
as relações no mundo real, servindo como alimento, 
muitas vezes de pouco valor, para satisfazer nossa a
 nossa fome de conhecimento e intimidade.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Oveja-negra.jpg
 7. Ser a ovelha negra não é ruim, apenas implica pensar ou agir de 
forma diferente. De facto, Marc Twain nos alertou: “Toda vez que você 
se encontra do lado da maioria, é hora de parar e reflectir.
” E Albert Einstein disse: “A pessoa que acompanha a multidão
 normalmente não vai além da multidão, a pessoa que anda 
sozinha provavelmente chegará a lugares onde ninguém esteve 
antes.” Você decide.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Falsa-sensacion-de-libertad.jpg
 8. A falsa sensação de liberdade alimentada pela sociedade que 
o escritor Étienne de La Boétie já havia nos alertado no século XVI,
 explicando que o princípio supremo dos novos tempos era que as 
pessoas tinham a “liberdade” de fazer o que eles devem. 
Pouco mudou nos últimos séculos.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Educacion.jpg
 9. “A Internet é projectada para nos dar mais do mesmo, qualquer 
que seja o mesmo, não importa o que é mais importante, 
e também para ficar preso ao que é diferente, tudo o que é diferente”, 
disse Bauman. Numa época em que todos olham para baixo, 
quem olha além de tentar ver o horizonte, pode-se tornar um 
problema a ser erradicado.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Falsa-sensacion-de-seguridad.jpg
 10. A sensação de falsa segurança alimentada pela sociedade
 que Bauman já havia nos alertado quando disse: “A incerteza, 
a principal causa da insegurança, é o instrumento mais decisivo 
de poder”. Eles nos vendem segurança como um remédio,
 enquanto nos roubam o nosso verdadeiro valor, deixando-nos 
a enfrentar riscos sem estarmos preparados.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Relaciones-vacias.jpg
 11. Relações líquidas, um amor que ligamos e desligamos 
com extrema velocidade e com a mesma facilidade com
 que trocamos as camisas. É sobre esse amor líquido que 
procuramos não sentir a solidão e a insegurança, mas em
que não estamos dispostos a investir mais do que 
o mínimo esforço e o menor sacrifício possível.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Dificil-mantenerse-alejado.jpg
 12. O cerco de tecnologia, chamadas, mensagens recebidas,
 notificações e e-mails se tornam perigos que nos assediam, 
colocando nossa atenção sob controle, 
impedindo-nos de relaxar.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Ceguera-por-la-tecnologia.jpg
 13. Carlos Catañeda disse: “Enquanto você se sente 
a coisa mais importante do mundo, você não pode 
verdadeiramente apreciar o mundo ao seu redor, 
você é como um cavalo com palas: você só se vê, 
alheio a todo o resto”. Internet, e especialmente
 redes sociais, geram esse efeito aterrorizante, 
impedindo-nos de apreciar as coisas e as pessoas ao nosso redor.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Confesionario-Facebook.jpg
 14. O confessionário das redes sociais, onde a ruptura entre o 
privado e o público é clara. Para dizer de Bauman: “o espaço público
 é onde ocorre a confissão de segredos e intimidades particulares”. 
A linha divisória entre os dois mundos foi obscurecida, esvaziando 
o sentido público de significado e subtraindo o poder de unir 
as pessoas ao privado.

https://www.pensarcontemporaneo.com/content/uploads/2018/04/Demagogia.jpg
15. “A vocação do político de carreira é tornar cada solução
 um problema”, disse Woody Allen, mas não podemos esperar mais
 nada duma sociedade que confia o seu governo nas mãos 
de pessoas que se prepararam numa cadeia para não ter 
voz ou ideias próprias.



Enviado por JORGE  LAGE