quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

O "Pastor" de Hermas, jóia da literatura Paleo-cristã


Mais um jóia da literatura do Cristianismo Primitivo.

(Primeiro parágrafo) “Quem me criou, vendeu-me para Roma a uma tal Rosa. Passados muitos anos, vim a conhecê-la e comecei a amá-la como irmã. Algum tempo depois, vi-a banhar-se no rio Tibre, dei-lhe a mão e retirei-a para fora do rio. Ao ver a sua formosura, discorria no meu coração, dizendo: Seria feliz, se desposasse uma mulher com esta beleza e modo de ser. Nada mais me passou pela cabeça senão isto”.

O pastor | Título original "POIMHN" | Hermas | Co-edição Alcalá / Faculdade de Teologia da UCP, 2003, 280 páginas

Não se sabe ao certo que foi Hermas, nem em que data (final do séc. I?, meados do séc. II?) ou local (Patmos? Éfeso? Roma?) a obra foi escrita. Orígenes dizia que este Hermas é o mesmo que Paulo saúda em Romanos 16,14. Mas é improvável.
“O Pastor” chegou a ser tido como livro inspirado por alguns cristãos dos primeiros séculos, graças às interpretações alegóricas (na mulher atraente do parágrafo acima citado viu-se o “símbolo da sedução que a cultura pagã exerce sobre os cristãos”).
Sobre a obra, Isidro Lamelas escreve na Introdução desta edição: “(…) É, sem dúvida, uma das mais fascinantes e surpreendentes de toda a literatura cristã dos primeiros séculos. Considerada e utilizada durante gerações como texto sagrado e inspirado, gozou de uma singular estima e notoriedade na Igreja antiga”.
fonte:http://tribodejacob.blogspot.com/2009/06/classicos-5-o-pastor-de-hermas.html

"Romanceiro da Castanha" no Porto

Jorge LageA Casa dos Transmontanos e Alto-durienses do Porto decidiu agendar a apresentação do livro, «ROMANCEIRO DA CASTANHA», para o dia 11 de Maio, Sábado, pelas 15H00 (?, mais ou menos), precedido de um almoço típico.
A  Casa Regional do Porto dará melhor informação sobre o evento em que se vai enquadrar esta sessão cultural.

comentário do Comandante de Airbus A340 Jorge Estevez sobre aeroporto no Montijo



Pela relevância da opinião, transcrevo aqui um comentário do Comandante de Airbus A340 Jorge Estevez, acerca das condicionantes e consequências de um aeroporto complementar na BA6-Montijo.

O Comandante foi anteriormente oficial Piloto Aviador da FAP.

"Eu sou desde sempre a favor dessa ideia de Alcochete. Em Portugal as decisões são tomadas como sabemos. Lembro que aquando da OTA também houve um prós e contras então. Representando os pilotos através da APPLA estava o então Cmdt Durval Ribeiro, velho amigo, que disse que os pilotos não tinham sido ouvidos e que a OTA levantava inúmeras dúvidas devido à orografia e meteorologia poderem limitar a Operação. Na ilustre plateia, cheia de VIPs e Srs Doutores Licenciados na ‘importância da minhoca para a cultura da Couve-flor’, reinava a galhofa. Ninguém o queria ouvir, o negócio estava feito e era apenas um detalhe.
E lembro como se fosse hoje que o Sr Cmdt Lima Bastos pediu a palavra e no do alto dos seus mais de 70 anos disse:
‘Os Srs aqui sentados nesta sala estão a rir.... mas se estiverem dentro de um avião prestes a descolar com chuva, vento e Montanhas ao lado ficam logo todos caladinhos.’ e fez o sinal com a mão de ‘medo, cagufa ‘.
A plateia calou-se ao ver que o Cmdt Sénior estava certo. Foi creio eu o fim da opção Montejunto.
Isto foi há mais de 6 anos decerto. Porque ainda não está o NAL a operar já com uma pista em Alcochete como previsto? A Troika dirá alguns mais ingénuos.
E com a racional de não haver dinheiro querem implementar o Montijo como solução complementar, aumentando um pouco a pista e construindo em cima do lodo...
Acho que as pessoas não têm noção do que é um Birdstrike, ou pensam que as pistas são todas iguais ou simplesmente nos querem fazer de parvos.
Estou qualificado em A320, A330 e A340, acabei de aterrar há pouco em Rzeszów, Polónia vindo de Newark USA, passo a vida a voar na Ásia, África, Europa, América do Norte e do Sul, Austrália Nova Zelândia, China, etc.
Somos creio a única Capital de um País Europeu em que o A380 não pode aterrar. Lembro que há muitos anos Lisboa era dos poucos Aeroportos onde o Concorde aterrava.
Interessa a Portugal gastar uma pipa de massa fazendo um Aeroporto complementar no Montijo? Que me lembre apenas um Fiat G91 caiu tendo ambos os pilotos se ejectado com sucesso mas a aeronave causou vítimas. Anos mais tarde foi um A7P que se despenhou na final tendo morrido o ocupante o Capitão Piloto Aviador António Santos do meu Curso.
A área tem pássaros, casas, vilas, que deveriam ser cuidadas porque são de facto um Património que não se deve destruir.
A quantidade de estradas para chegar do Samouco que será necessário construir, a deslocação de Meios, toda uma enorme obra de Engenharia para quê?
1- para gastar muito dinheiro que é de todos numa obra com prazo de validade curto
2- para destruir, perturbar ecossistemas únicos.
3- para entrar em conflitos com aves migratórias.
4- para aumentar a poluição sonora e outra de toda uma comunidade.
É isto mesmo que queremos?
Em Espanha construíram Barajas em fases, operei lá a semana passada e é uma maravilha!
Porque será que em Portugal temos sempre de inventar a roda?
Temos Engenharia, os terrenos são do Estado, a Obra é necessária e urgente, todos os Estudos desde há mais de 50 anos, que não tenham sido encomendados, apontam para Alcochete.
Por mim devia já estar pronta a primeira fase. Agora não nos tentem fazer de parvos por favor.
Fiz inúmeros Estudos de Estado Maior que eram sérios. Existe uma coisa chamada análise APA. Adequabilidade, Praticabilidade e Aceitabilidade.
Um Estudo acerca deste assunto obriga a muitas consultas sem dúvida, mas no fim o Documento final tem de ser legível e não ter conclusões enviesados ou pressupostos errados ou incompletos.
Se têm problemas poupem dinheiro ao Erário Público e encomendem um Estudo aos 3 Ramos das Forças Armadas.
Afinal qualquer Major o saberá fazer de forma responsável.
Esconder informação, encomendar estudos, manipular os Media é típico de um País de Terceiro Mundo gerido por uma Seita que coloca os seus interesses acima do Interesse Nacional.
Portugal merece mais. E nós também!

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Hoje em Miranda do Douro


Hirondino Isaías
O presidente da direcção da agremiação transmontana, sediada em Lisboa (Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro de Lisboa) vai estar presente, hoje, pelas 17 horas,  em Miranda do Douro, no recinto da feira, para lançar ao público do planalto a Antologia de autores Transmontanos, Durienses e da Beira Transmontana,  edição da associação, lançada no primeiro dia do IV Congresso de Trás-os-Montes e Alto Douro, realizado em Maio de 2018,  com o objectivo de agregar os Transmontanos, Beirões Transmontanos e Durienses, em torno desta agremiação centenária, mãe de todas as outras espalhadas pelo território nacional e pelo Mundo.
Os autores mirandeses que deram o seu contributo para este volume foram:



Os municípios assinalados a branco foram os que, até ao presente, patrocinaram o volume. Bem hajam!


Comonitório & Apologético - Orósio de Braga


Mais uma pérola da literatura Cristã dos primeiros tempos. Orósio de Braga, nos anos de 414 a 417 privou com dois protagonistas do momento, quando, por volta de 410, com a primeira queda de Roma,  a iluminação de cena da oikoumene greco-romana se deslocou para África e para o Oriente. Foram eles São Jerónimo e Santo Agostinho.


Da Velhice - Cícero


Mais um clássico cuja leitura vivamente se recomenda. Tivemos o privilégio de o ler na entrada para  a juventude.



sábado, 16 de fevereiro de 2019

E a manipulação da vigarice continua …



Para quem, num país ao nível do Burkina Faso, pensa um bocadinho (coisa proibida pela oligarquia corrupta dominante) é, na verdade, bastante estranho que certas “coisinhas” andem para aí a pedir a cabeça do governador do Banco de Portugal, Dr. Carlos Costa, quando hoje se sabe, “preto no branco”, que o caso ruinoso da CGD se deve à administração do dr. Constâncio enquanto governador do BP e à administração ruinosa e vigária da CGD  de Santos Ferreira e Armando Vara!  

O Ranking nacional das escolas, referente ao ano de 2018



O Ranking nacional das escolas, referente ao ano de 2018, acaba de ser publicado. Se é verdade que não diz tudo sobre a realidade do ensino, como muita gente do ensino público procura argumentar a realidade miserável do nosso sistema, também é verdade que diz muito – talvez 80%!
E os sinais estão aí. Mas quem está agarrado a argumentos defeituosos e aos lugares que os promovem, não os querem ver. Nada de novo debaixo do sol neste Portugalinho corrupto. Antes da última BANCARROTA, ninguém quis ver os sinais, embora bem-avisados por gente competente e séria como Saldanha Sanches e Medina Carreira, entre outros. Depois foi o que se viu. Estaremos a pagá-la, pelo menos, até 2035! É, aliás, a essa gente que se deve o sistema que temos. Porque para controlarem as vigarices, tiveram de distribuir pelos lugares de decisão os seus lacaios que minaram toda a Administração Pública. E é aqui que está o grande problema.
Ora o que se vislumbra no presente Ranking? O mesmo que nos anteriores. E então esta gente não aprende? Claro que não porque é gente corrompida e ninguém a endireita. É o fado português.
Nos primeiros 50 lugares o predomínio é do ensino privado. Tudo com dantes. O que se verifica ainda? Que boas escolas publicas, que antes estavam entre as primeiras 80 (num universo de 627 escolas), estão agora entre 160º e 190º. Verifica-se ainda que são raríssimas as escolas públicas que aprenderam a ler os sinais. Mas há um caso ou outro que, estando cá para baixo, subiu para os primeiros 70 lugares. E ainda se verifica que aquelas escolas que eram fãs do sr. Sócrates, da dona Rodrigues e daquela camarilha "não saem da cepa torta". Vão para lá do 420º Lugar! E isto desde sempre! Mas prosápia não lhes falta, não sabendo da cara de palhaços que fazem perante gente decente e competente!
Perante estes sinais entre outros (para quem os quer ver) o Sr. Ministro da Educação diz que ainda temos um longo caminho a percorrer. Já lá vão 20 anos!


Pode ver aqui, clicando na ligação, o Ranking das escolas do ensino secundário


A Linha do TUA

BARROSO da FONTE
 Com um abraço do BF vai este belo conjunto de imagens que vão ser revistas com o novo programa para a restaurada linha férrea. Rosado Correia que destruiu as linhas férreas da Régua a Chaves, de Guimarães-Fafe e do Tua deve estar a arder no inferno se este existe. Foi nesse tempo que se iniciou a Bancarrota que Constâncio, Oliveira Costa, Sócrates, Vara e atores do Parque Escolar, das PPPs e quejandos consumaram.

O texto e fotografias que seguem, são de autoria de Manuel Sousa

 
Entre os anos de 1885 e 1887, datas do início da sua construção e da sua inauguração, respectivamente, nascia assim, tal como esta fotografia documenta, a linha de caminho de ferro do vale do Tua, entre o Tua e Mirandela.
Entre os anos de 1885 e 1887, datas do início da sua construção e da sua inauguração, respectivamente, nascia assim, tal como esta fotografia documenta, a linha de caminho de ferro do vale do Tua, entre o Tua e Mirandela.
Sem maquinaria na época, em dois anos, a martelo e cinzel, mãos calejadas rasgaram maciços rochedos ao longo do rio, incluindo alguns túneis, aproveitando a abertura natural de todo o vale.
Um pouco mais tarde seria concluída a sua construção até Bragança, a partir de Mirandela, já em terreno mais plano, abandonando o curso do rio Tua.
Um pouco mais tarde seria concluída a sua construção até Bragança, a partir de Mirandela, já em terreno mais plano, abandonando o curso do rio Tua.
Nos anos 80 do século passado, por incúria dos políticos portugueses, é votada ao abandono e, consequentemente, sentenciada a sua agonia de morte.









Um Pagode meus senhores !!!


Por: Costa Pereira Portugal, minha terra  

Uma boa jogada esta, de Assunção Cristas ao forçar o BE e o PCP a se aliarem ao PS, e obrigar Rui Rio a demonstrar se quer ou não ser oposição ao PS ou se está ou não interessado na queda da “geringonça”. Se isto se não der quem acaba por ganhar é o CDS por ter a coragem de desafiar toda a oposição que se diz contraria a conjuntura política que domina na AR desde 2015.
O momento é favorável, pois em luta está o professorado, a enfermagem, funcionários das finanças, do lixo, escolas encerradas por falta de pessoal, tudo quanto é necessário para condimentar um bom debate no Parlamento. Acrescido duma notícia acerca dum festim na Cadeia de Paços de Ferreira, em que o PSD citava a notícia que nessa festa não se vislumbrava um único guarda prisional ali por perto.  De notar também que por certo Assunção Cristas está consciente que entre o PS, PCP e PEV, existe um acordo em que estes partidos estão “obrigados” a examinar conjuntamente qualquer moção que vise derrubar o Governo, e é por isso mesmo que ela apresenta a moção para os verá todos retratados, penso eu.
Que me não queria na pele do António Costa, é uma verdade, nota-se que envelheceu nestes três anos que bem melhor faria se não tivesse tirado o lugar ao Dr. Passos Coelho, não ganhou nada a não chatices, e os portugueses também não. É uma balburdia com reclusos fazer festas e a partilhar no Facebook, e como resultado mais uma demissão, a directora da cadeia de Paços de Ferreira, Drª. Maria Fernanda Barbosa. Um pagode, meus senhores, um pagode!!!