terça-feira, 1 de maio de 2018

Eventos em Mirandela esquecem-se das aldeias?



JORGE LAGE
O Município de Mirandela é bastante mais que a cidade e se em alguns casos se realizam boas iniciativas nalgumas aldeias, noutras são mais esquecidas. A melhor forma de se ter algum desenvolvimento sustentável ao concelho é não se esquecer do todo. Se numa feira ou «festival» se promove o queijo e o azeite é «obrigatório» convidar para estar presente a Escola Profissional Agrícola (EPA)de Carvalhais. Esta tem um excelente queijo de cabra e de ovelha, bem como um óptimo azeite. Há anos, ofereceram-me um garrafão de azeite da EPA. Achei que era mais um. Repousou na garagem, um ano e quando o abro, sem entusiasmo, sou apanhado de surpresa, por um excelente azeite que parecia ter acabado de sair do lagar. Era um azeite aromatizado, perfumado até, que me fez salivar. Uma maravilha divina! Soube, mais tarde que era da variedade de azeitona verdeal. Também, sou um apreciador exigente de pão (centeio, trigo, bôla calcada, bôla de ovos e bôla de azeitonas). Consumo, habitualmente, pão do concelho de Mirandela. Sou, tal como o, Celestino Reis, capaz de ir de Braga a Mirandela para comprar o melhor pão. Por uma questão de saúde e para não ter problemas de azia em minha casa, compro o centeio na «Padaria Zelita» (na Placa da Bouça - 278339160) e, às vezes, na «Padaria Guerra» (em S. Pedro Velho - 278312144). O último pão centeio que comprei na Bouça causou-me uma felicidade imensa, tal era a qualidade. O trigo costumava-o comprar na «Padaria Seramota» (278263245) e fico com os olhos abertos para o seu bom trigo das alheiras, que quase não aparece à venda. Ali, aconselho a bôla calcada, a bôla de azeitonas, os doces económicos e a bôla de azeite e ovos. A minha «perdição» é pela bôla calcada e os económicos. A minha irmã serviu-me, à merenda, uma bôla de azeite e ovos de uma senhora de Suçães!... Se a «padeira» lhe meter ovos de galinheiro, pode aproximar-se da que se fazia há 50 ou 60 anos. Parece que esta «padeira» só faz as bôlas por encomenda. Mas, eu queria «denunciar», como outrora denunciei, fazerem-se «feiras do livro» sem serem convidadas as livrarias locais ou regionais, lembro ao município para convidar as padarias Zelita e Guerra, para as feiras em que entre pão ou que o nosso melhor pão possa estar representado. Um bom pão compra-se sempre e as pequenas padarias de qualidade das aldeias têm que ser estimuladas e desafiadas. É tempo de as equipas municipais olharem mais para as nossas aldeias. Ganham as pequenas empresas, o concelho e o público consumidor. Suponhamos que se abrem maiores desafios para essas pequenas unidades de produção? Mirandela está para as aldeias, como o poder central estão para o Portugal Interior. O Município tem de se preocupar sempre com a coesão municipal.

Sem comentários:

Enviar um comentário