quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Deputados da Assembleia da República (AR) pelo círculo de Bragança estão activos

JORGE LAGE
Algum tempo depois de tomar posse como deputado, José Silvano convidou-me para um almoço na própria AR, ficando com uma perspectiva diferente da que geralmente nos entra no ecrán. Passado algum tempo, os deputados, José Silvano e a Júlia Rodrigues, ambos com vida social e familiar em Mirandela, bem como o macedense, Adão e Silva, promovem na AR, a que não pude comparecer, uma mostra dos melhores «Produtos Transmontanos», e são muitos os de excelência: azeites, vinhos, enchidos, queijos e o pão, entre outros. José Silvano, enquanto Presidente do Município de Mirandela, travou com a sua «Equipa» e com a população uma dura e mediática luta quando um político obtuso resolve retirar a «Maternidade» a Mirandela. Era das que melhor funcionavam no país e foi gastar milhares de euros (estranha forma de poupar, sinónimo de gastar) a construir uma em Bragança. Pela centralidade e movimento pertencia-nos. Hoje só não vê que foi um erro quem não quer ver e põe os interesses partidários acima dos das populações. Mas, José Silvano, uma vez eleito deputado vestiu a camisola do distrito e já interveio na AR, para questionar o actual Ministro da Saúde por que motivo as obras, aprovadas em Setembro de 2015, no valor de um milhão e duzentos mil euros, para melhorar o bloco cirúrgico e o laboratório do Hospital de Bragança, ainda não avançaram? Mais revoltante é saber que a esse «bolo» de melhoramentos, acrescerá um reforço de fundos comunitários no valor de três milhões e meio de euros. Tal era a pressa das promessas de António Costa de virar a página da austeridade e contenção orçamental, que não se percebe bem esta demora, quando noutros locais e serviços há dinheiro para tudo, mesmo para o supérfluo. Parece que continuamos a viver de palavras e promessas no interior profundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário