segunda-feira, 25 de julho de 2016

Algumas virtudes do vinho

"As Bodas de Canaã" - Giotto

JORGE LAGE
Desde as civilizações da antiguidade que o Homem conhece o vinho e as suas virtudes. A Bíblia Sagrada do cristianismo está cheia de referências ao vinho e ás videiras. Cristo serve-se das videiras e do vinho nas suas parábolas para melhor explicar a Sua doutrina. O cristianismo usa-o e transforma-o em sangue de Cristo na Santa Missa. Os fenícios e cartagineses e a seguir gregos e romanos utilizam-no nos grandes momentos festivos e propiciatórios, ao ponto de os helenos lhe atribuírem o deus Dionísio e os descendentes de Rómulo e Remo o deus Baco. Quer dizer que, desde a antiguidade até aos nossos dias, o vinho é para as grandes celebrações familiares, de amigos e momentos vitoriosos e sociais. Em Trás-os-Montes nos últimos 15 anos têm surgido imensos vinhos de qualidade pelo surto de bons enólogos e por se apurarem as tecnologias vinícolas. Guardados em pipas, tonéis e cubas os vinhos são cada vez melhores. Não conhecendo todas as marcas, vou referir duas ou três marcas da nossa região: o «Grambeira» (Carrazedo de Ansiães) que aqui tenho noticiado, o «Quinta da Corriça» (não conheço mas tenho só boas referências) e o «Ferrador» (ambos de Vale de salgueiro). Bons vinho de adegas cooperativas temos, entre outros: de Rebordelo, Valpaços, Murça e Freixo de Espada-à-Cinta. Da Adega Cooperativa de Freixo, tenho encontrado em restaurantes, como «vinho da casa», um de qualidade superior, bem melhor do que o de muitas marcas do mercado. Queria referir ainda o excelente vinho da casa, de lavrador de Carrazeda de Ansiães, em caneca, que o restaurante «Loureiro» (Av.ª das Amoreiras) serve às refeições, bem como a casa de petiscos «Isabela» na Praça do Mercado, fornecido pelo Víctor Cabano e que será produzido em Noura - Murça. Sobre os vinhos, as suas virtudes são conhecidas desde os gregos e romanos, dizendo-se que os que bebem vinho com moderação ficam mais alegres, afastam as depressões e a ansiedade. As pessoas que bebem vinho frequentemente são mais alegres e encaram melhor as contrariedades da vida. Eu bebo vinho para honrar a memória dos meus pais e familiares que já partiram, isto é, por um acto cultural e de solidariedade com os «homens da terra». Sigo o conselho da minha médica hepatologista e professora universitária em Lisboa, apesar dos meus problemas hepáticos e cardíacos, que me disse: - Um copo de vinho tinto por dia não lhe faz mal! Até lhe faz bem (neste caso, ao coração)!

Jorge Lage – jorgelage@portugalmail.com – 13JUN2016
Provérbios ou ditos:

      De bom castanheiro, bom madeiro.
      Julho quente traz o Diabo no ventre.
      Quem paga adiantado é mal servido.

Sem comentários:

Enviar um comentário