sábado, 24 de outubro de 2015

País de lunáticos


Ouvidas as reacções ao discurso de ontem do Presidente da República, quando indigitou Pedro Passos Coelho como Primeiro-ministro, conclui-se que vivemos num país de lunáticos.
Primeiro porque as esquerdas, como sempre, não respeitam as regras democráticas. Para atingir os seus objectivos de poder, queimam etapas, destruindo para construírem à sua maneira. Queriam que o Presidente indigitasse Costa, sem este apresentar um “acordo”, firme e consistente. Pretendiam armadilhar o Presidente.
Por outro lado, os comentários dos do costume (onde se incluem os lambe-cus partidários), além de medíocres, roçam o desprezível.
Dizer que o discurso do Presidente uniu as esquerdas radicais e a esquerda socialista é não saberem o que dizem. O discurso de ontem não interessou para nada, porque os golpistas socialistas (e o usurpador Costa) e os revolucionários do Bloco e do PCP, já cantam de galo pois julgam que o poder lhes caiu no colo. Por outro lado, esse discurso não interfere em nada no campo das esquerdas. O problema destas com o Presidente é antigo. Nunca lhe perdoaram ser o político português (juntamente com Mário Soares) com maior número de vitórias eleitorais. Sempre expressivas! Este é que é o problema do discurso de ontem!

Armando Palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário