sábado, 9 de maio de 2015

Um Juiz (Carlos Alexandre) exemplo para as novas gerações



Ao juiz Carlos Alexandre (como ao seu colega Rosado Teixeira) nenhum comportamento público lhe é censurável. Bem pelo contrário. Seguindo a boa tradição portuguesa (não a destes últimos 40 anos) teve a audácia de prender um ex primeiro-ministro (o prisioneiro 44º de Évora) e, ao mesmo tempo, realizar uma limpeza gradual. É que a podridão é muita.
Esta atitude valeu-lhe alguns dissabores. Uma certa escumalha (de quem a policia judiciária há-de tratar) tem-lhe enviado alguns “sinais” mafiosos. Um dos últimos foi uma denúncia anónima à qual o magistrado respondeu com toda a clareza ao Procurador. Não sendo obrigado por lei, o juiz Carlos Alexandre não foi de modas. Explicou ao Procurador todos os seus rendimentos. Os dele e os da esposa. E até os da irmã. Os de herança e os próprios. Nem um centavo ficou por explicar. Incluindo um BM 320 (que ainda está a pagar).
Quem tem carácter é assim. Adivinha-se portanto, uma chusma de arguidos (quiçá presos) nos próximos tempos.
Venham eles.

Sem comentários:

Enviar um comentário