sábado, 9 de maio de 2015

In Memoriam de Miguel Torga

                                        Aínsa  - vila medieval no sopé dos Pirinéus espanhois


(Clique para aumentar)
Em todas as latitudes e geografias, a cultura das comunidades depende, grande parte das vezes, de pessoas singulares. Nas aldeias transmontanas é comum girar em volta de pequenas Associações e de pessoas singulares. Como em todo o território português. Noutras paragens, porém, este costume não é diferenciador de um modo geral. Sê-lo-á em casos específicos. Daremos dois exemplos aqui próximos – Espanha. Há cerca de 15 anos em viagem longa pelo território espanhol, direccionados aos Pirenéus, mais concretamente a Vale de Boi (Património da Humanidade), parámos em L’Aínsa, pequena vila medieval no sopé dos Pirinéus espanhois. A pequena igreja românica da antiga colegiada dedicada a Santa Maria era, em grande parte, conservada com as contribuições dos devotos visitantes. Entrava-se num espaço completamente escuro, onde se não via um palmo à frente. Depositando uma peseta numa caixa, todo o espaço se iluminava ao som de um canto gregoriano. Foi uma experiência magnífica. Soubemos depois que a ideia fora congeminada por pessoa singular e que dela dependiam culturalmente, todas as acções em volta do templo. O mesmo encontramos no mosteiro de Santa Maria de Gerri, perto de Urgel, na mesma região dos Pirinéus. As acções culturais dependiam de pessoas singulares.
A.M. Pires Cabral

Grémio Literário Vila-Realense
Câmara Municipal de Vila Real
Vem isto a propósito das actividades do Grémio Vila-realense. Não é novidade para quem consulta o seu site. Programa e divulga a cultura transmontana e alto duriense em várias frentes. E suporta ainda a publicação de revista cultural com mais de duas décadas – Tellus.
Uma das últimas actividades que realizou foi o Encontro de escritores Transmontanos e Alto-Durienses (2015), ao qual associou uma merecida homenagem a Miguel Torga, em publicação com o testemunho de três dezenas de autores transmontanos, intitulada In Memoriam de Miguel Torga, da qual se deixa aqui testemunho.
Resta dizer que embora conte com o apoio institucional do município vila-realense, toda esta actividade cultural depende de uma pessoa singular: o escritor A. M. Pires Cabral.
Armando Palavras


Sem comentários:

Enviar um comentário