sábado, 5 de julho de 2014

A igreja da Cumieira enquanto pertença do padroado da Universidade de Coimbra – Suposta Pintura de Nicolau Nazoni

Cumieira - Santa Marta de Penaguião (DOURO)
Durante os primeiros terços do século XVIII pertenceu ao Arcebispado de Braga. Só no terceiro quartel o pároco passou a ser apresentado pela Universidade de Coimbra.
Em 1757, o pároco era abade, podendo renunciar obtida a devida licença do ordinário, porque a abadia pertencia à Oitava Regra da Chancelaria.
Por esta altura existia na freguesia uma irmandade, a do Santíssimo. Nome de Jesus, tendo a sua igreja sete altares: o Altar-mor, Senhora do Rosário – colateral e do lado do Evangelho, São José, altar com a imagem do Senhor Crucificado que servia para depósito da pia baptismal, Senhor das Necessidades – do lado da Epistola, São Sebastião e São Gonçalo.
Esta igreja fazia parte dos bens do Colégio das Artes, a quem passou a pertencer não se sabe muito bem desde quando nem porquê. Sabemos que em 1757/58 pertencia ao Arcebispado de Braga. Só a partir dessa data passou a fazer parte do Padroado da Universidade, ao seu Património Novo, constituído, como observámos anteriormente, pelo conjunto de bens advindos, em 1774, da Companhia de Jesus, dado que o Colégio das Artes com todos os seus bens regressara já à posse da Universidade em 1772, por Provisão de 16 de Outubro[1]. A confirmação da Bula em missiva de sete de Fevereiro de 1784 pelo bacharel Bernardo António Teixeira Mourão e sua mulher Antónia Joaquina, que estaria na base desta transferência apresentada neste capítulo, também não é esclarecedora. Como o documento de 1774 lhe não faz qualquer referência, esta transferência teria sido consumada no período que medeia o ano de 1758 e 1772. O ano ao certo não o sabemos, bem como as razões que estariam na causa da mesma.
Já pertença do padroado da Universidade, é feita a “Rellação das cazas e herdades pertencentes à Igreja de Santa Eulália da Comieira, extrahida do Tombo respectivo”. Esta Relação, sem data, além de descrever os bens da igreja nos vários lugares – aldeia de Bertelo, lugar da Sercegueda, freguesia de Poiares, vale de Lobrigos, São Miguel de Lobrigos e Quinta das Lamas – descreve-nos o título do assento da igreja, o título da redondeza do assento, o termo e o limite da freguesia da igreja.

                                                           Armando Palavras

Parte introdutória do artigo (pp.355-376) que pode ser consultado, na integra, na revista Brigantia, ed. Assembleia Distrital (Bragança), Vol. XXXII, 2012/2013.
Directora: Drª Ana Maria Afonso



[1] O Colégio das Artes, segundo António de Vasconcelos (1939) foi instituído por alvará de 16 de Fevereiro de 1553, principiando, contudo, a funcionar em 1548.  Foi entregue à Companhia de Jesus até 1759, ano em que esta foi expulsa de Portugal por decreto do Marquês de Pombal. Advinha, portanto, da tradição colegial medieval. Estas agremiações estavam anexas às Universidades.


Sem comentários:

Enviar um comentário