sábado, 25 de agosto de 2018

A Primavera de Praga foi há 50 anos


Alexander Dubchek
Há 50 anos, enquanto os Beatles celebravam Hey Jude, os tanques soviéticos, com a capa do Pacto de Varsóvia, invadiam a Checoslováquia, arruinando a idealista Primavera de Praga, colocando no poder uma marionete.
O então Primeiro-ministro checo, Alexander Dubchek, tentou humanizar o regime comunista (como o fez Tito na Jugoslávia) que a então União Soviética leninista/estalinista, havia imposto aos seus países satélites de influência. Dubchek sabia que o sistema soviético era opressor e economicamente bloqueado. Procurou assim, estabelecer as liberdades, a democracia, rompendo com a verdade única e corrupta de Moscovo. O povo checo e esloveno queriam-na, sem a tutela moscovita.


A cobertura do acordo celebrado com os EUA, para evitar um conflito nuclear, permitiu aos soviéticos invadirem a Checoslováquia com 2000 tanques e cerca de 400 mil soldados.
DubcheK, um homem bom, para evitar um banho de sangue face à desproporcionalidade de homens e armas, aceitou pôr um ponto final no seu “socialismo de rosto humano” e a primavera acabava em pleno Verão (21 de Agosto) - mesmo assim, 72 checos morreram.
Para sobreviver Dubchek aceitou a profissão de taxista!


Sem comentários:

Enviar um comentário