quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Português burlão e o estado estalinista (esclavagista) da Coreia do Norte


"O português Luís Nobre (49) foi condenado na Inglaterra a catorze anos de prisão por ter burlado a empresa neerlandesa Allseas em 100 milhões de euros.
O burlão apresentava-se como um investidor imensamente rico, com relações no Vaticano e na aristocracia espanhola. A polícia descobriu documentos falsos que "provavam" ter o português acesso a contas bancárias com biliões de euros.
Da burla foram recuperados cerca de 88 milhões, o restante parece ter sido gasto para financiar o luxuoso estilo de vida de Nobre, a sua preferência por hotéis de cinco estrelas e fatos caros. "
Uma cúmplice saberá mais tarde a que pena foi condenada. Um terceiro suspeito faleceu antes de começar o processo."
.......................

"No porto de Gdansk, na Polónia, com a aprovação da Comissão Europeia, trabalham desde 2002 centenas de trabalhadores norte-coreanos, contribuindo para uma concorrência desleal de Gdansk com os outros portos do Báltico. A Comissão Europeia aprovou o apoio estatal ao porto, nunca questionando a presença dos "escravos" norte-coreanos. Calcula-se que neste momento trabalhem em Gdansk cerca de 800 norte-coreanos, situação a que o secretário de estado do trabalho diz que nada há a fazer.
Os trabalhadores são transportados pela Air Koryo  da Coreia do Norte para Moscovo e daí para a Polónia.
Do salário que lhes é pago 90% é transferido para a conta do do estado norte-coreano na Suíça. Calcula-se que a exploração de 50.000 a 100.000 norte-coreanos que, além da Polónia, trabalham em Angola, no Koweit e Qatar, rende anualmente 1,5 bilião de euros à Coreia do Norte."
…………….
Notícias extraídas de: NU.nl e 925.nl. Relatórios: aqui e aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário