sábado, 18 de outubro de 2014

Pão trigo de Mirandela e os dejectos caninos


JORGE LAGE
3- Pão trigo de Mirandela?... – Não sou especialista em farinhas de pão, de trigo ou de milho. Contudo, sei que há farinhas mais indicadas para este ou aquele tipo de pão, para este ou aquele prato de milhos ou de painças. Mas, quem vai lendo o Notícias de Mirandela sabe que eu «farejo» o bom pão ou bom trigo pelo país fora. Há dias tive um convívio de antigos colegas da Educação de Adultos, com um jantar abrasileirado. Depois de correr os comes, não tive dúvidas de que o melhor que ali estava era o trigo. Dirigi-me à generosa «arquitecta» do almoço e perguntei-lhe qual era a padaria que tinha tão bom pão. A resposta foi pronta: - foi a M.ª dos Anjos que o fez em casa. Vai ficar contente com o teu elogio. A Mestra M.ª dos Anjos, veio de uma recôndita aldeia de Tomar para a vila de Amares (das laranjas), onde casou. Explicou-me que o trigo é feito como o fazia a avó, a mãe e as demais mulheres da aldeia. Entre os vários cuidados, desde o fermento, ao sal, a farinha é essencial. E disse: - tem de ser de trigo-rijo. É uma variedade de trigo (Triticum turgidum ou Triticum durum) de grãos duros e claros. O trigo é uma gramínea originária do Médio Oriente e região do Mediterrâneo. O trigo duro que se produzia imenso e se produz, ainda, algum na região da Terra Quente é de palha-cheia ou colmo meduloso, conhecido por trigo-barbela, devido às praganas compridas das espigas, e para se distinguir do trigo-roma ou rapado, de espiga mais cheia e palha oca, O primeiro dava-se bem em bons terrenos e o segundo (o Roma) requeria bons solos. O trigo era um alimento dos ricos e os pobres, apenas o comiam em dias de festa ou nomeada. Na década de setenta, Beja era o maior silo de trigo e Trás-os-Montes e Aveiro os que menos produziam. Umas décadas a trás as azenhas e moinhos transformavam-no em farinha, para a seguir passar para as moagens industriais. Em Mirandela, a Moagem do Lopes passou a ser preponderante. Tenho elogiado o melhor trigo produzido em Mirandela, mas nos últimos quatro ou cinco meses, a qualidade de algum deixa muito a desejar. Não sei se por mudança de farinhas, fermentos ou massas. Isto deixa-me triste porque gosto que a minha terra tenha sempre o melhor. Felizmente, o melhor pão de S. Pedro Velho e Bouça mantém a qualidade.



4- Coima de 50 euros para dejectos caninos – Na minha cultura familiar, herdada dos avós e pais, vejo utilidade em cães como os de guarda, guia, pisteiros e de caça. Os de regalo são difíceis de me entrarem na mente. Como acho pouco higiénico cães em propriedade horizontal habitacional. O lugar mais apropriado é o canil como das aves na capoeira ou os recos no curral ou pocilga. Nos espaços públicos os cães deviam andar açaimados. A maioria dos donos dos cães não respeitam a saúde pública e o bem-estar das pessoas nos espaços públicos. Aliás, nos diálogos com as protectoras de animais, estas dizem sempre que nunca lhes passou pela cabeça sensibilizar os donos de cães para apanharem os dejectos. Sempre que vejo um passeio borrado, passo a caminhar pela estrada. Gosto muito de cães e teria um ou dois, se tivesse um quinta ou espaço onde pudessem andar. Os meus parabéns ao município pela coima e que se passe das letras às notas para os prevaricadores, porque Mirandela merece ser uma cidade limpa.



Sem comentários:

Enviar um comentário