terça-feira, 5 de junho de 2018

De facto, não somos todos iguais


De facto, não somos todos iguais. A missiva supra, bem como os dois túmulos infra são disso exemplo.

Campa rasa de António Oliveira Salazar

Jazigo de Mário Soares

1 comentário:

  1. Muito bem lembrado.
    O pequenino jazigo na 2ª fotografia remete-me para palavras e frases conhecidas como, "ateu", "agnóstico", "não crente", e "com uma mão à frente e outra atrás".
    Muitos concidadãos sabem o que tinham e têm, sabem dar contas, podem explicar. A outros nunca se lhes pede explicação.
    Uma coisa a passagem do tempo me sugere, 44 anos de chuva e de Sol fizeram florescer as notas a alguns.
    António Cabral
    (Chapéus há muitos)

    ResponderEliminar