quinta-feira, 3 de maio de 2018

Portugal com Administração Pública mais corrupta da Europa!


Harry G. FrankfurtHá bons anos que neste blogue, de vez em quando, se publica um ou outro artigo sobre corrupção em Portugal. Não por acaso. O país, há décadas que tem sido levado na conversa fiada de gente sem escrúpulos, sem decência, que o atiram periodicamente para a falência técnica (vulgo, BANCARROTA). Tudo porque possui uma das Administrações Públicas mais corruptas do mundo civilizado. Ao nível do Chile ou dos Emirados Árabes Unidos! São os dados da organização não governamental Transparency International, publicados a 21 de Fevereiro deste ano, que o dizem (e que tem sido silenciado pela comunicação social).
Dos 180 países e territórios avaliados de acordo com a percepção dos seus níveis de corrupção, Portugal fica em 29.º lugar, com a Nova Zelândia em 1.º e a Dinamarca em 2.º.
Segundo esta organização independente, Portugal é visto como um país mais corrupto do que a média europeia.
O presidente da Transparency International Portugal, a Transparência e Integridade, disse num comunicado da organização que Portugal não tem evoluído significativamente no índice ao longo dos anos em que este é gerado. “Esta estagnação é o retrato da falta de vontade política em adotar uma abordagem frontal a este problema crítico para o bom funcionamento das instituições e para a capacidade de a nossa economia ser competitiva e captar investimento e gerar emprego”, acrescentando que lamentava que Portugal continuasse “cronicamente abaixo da média da Europa Ocidental no combate à corrupção”.

E isto acontece por acaso? Claro que não. Ainda há uma semana, Ana Gomes se levantou contra o caso Pinho e Sócrates (apenas agora). Mas veio logo Alberto Arons de Carvalho em defesa de Sócrates, em entrevista no jornal i. E Carlos César (o tal que colocou toda a família e Amigos na Administração Pública) e Jorge Coelho (que passou do governo socialista para administrador disto e daquilo e tem programa próprio televisivo) vieram com os paninhos quentes do costume.
Para nosso espanto, ontem, acerca do caso Pinho vimos três figuras desdizer o que há anos vinham defendendo (Sócrates, Pinho e Cª): Carlos César, o sr. Galamba e o sr. Fernando Medina (que todas as semanas faz campanha às massas em programa próprio de televisão!).
O mais grave disto tudo, é que quem hoje nos governa foi quem levou o país à BANCARROTA em 2011! E quem tem altas responsabilidades no Estado, vem de boca cheia dizer que Portugal é a Finlândia do século XXI! Pois é, mas será na cabelça deles, porque na da Transparency International, e na dos Portugueses decentes, o país continua ao nível do Burkina Faso!
Entretanto o jornal Público noticia que foram desviados documentos relevantes do inquérito dos incêndios de Pedrógão Grande, e nega-se que a lista dos maiores devedores da CGD (e já agora dos outros bancos) que levaram o país ao fundo, seja pública. Quando o dinheiro que aí foi injectado é dos contribuintes! E os responsáveis desta trama, ou deste pântano, continuam por aí.



OUT NOW! We analysed 180 countries to see how they scored in the fight against #corruption. Find out your country’s score here > http://anticorru.pt/cpi2017  #CPI2017

Sem comentários:

Enviar um comentário