quarta-feira, 9 de maio de 2018

Com o tempo lá vamos indo


Por: Costa Pereira Portugal, minha terra

Na freguesia de Nine vivi cerca de dois anos, após antes ter vivido uns cinco ou seis meses na Rua de Santo António, em Vila Nova de Famalicão. Chamava-se Luís e além de barbearia, vendia roupa e dava injeções a quem precisava e não tinha mais onde recorrer. Homem são e generoso, daqueles que me serviram de modelo e nunca mais esqueci. Tinha uma pessoa minha familiar em Braga internada num hospital, mas nessa altura o dinheiro escasseava e viajar para a cidade não despertava desejo. Ao saber dessa notícia, o bom do homem um dia disse-me: “Um dia destes quero que vá comigo a Braga ver a tal pessoa sua amiga! Quando puder eu digo-lhe” – E assim foi.
Ali morei vizinho do Largo de Santo António, donde depois de sair jamais voltei, mas raro é o dia que me não lembre do Sr. Luís, que soube não há muito já ter falecido. Eu tinha os meus dezassete anos quando o conheci, e vou fazer dois carros este ano, se Deus deixar. Como das pessoas também desta simpática e fértil terra minhota fiquei admirador, e recordo muitas vezes pessoas que ali conheci. Como a família Carvanheira, e uma fidalga da Casa do Campo de Molares (Celorico de Basto) ali casada e residente numa sua quinta. Outro que não sendo da freguesia, mas era cliente do Sr. Luís, era o ti Benedito de Pousada, que tinha um filho médico, casado com uma tia paterna do malogrado Dr. Francisco Sá Carneiro.
Esta freguesia do extremo noroeste de Famalicão limita com Barcelos por Viatodos, e ocupa uma área de 390 hectares que o Rio Este banha. Terra antiga, Santa Maria de Nine foi uma reitoria da apresentação da Mitra e comenda da Ordem de Cristo. Hoje os seus lugares mais importantes são o da Estação e o da Igreja, que agora envolve o de Friães, Cancela e do Monte, e certamente o Largo de Santo António. Famosa em termos ferroviários cujo lugar da Estação é disso testemunha, pois dali continuou a linha férrea que liga o Porto a Valencia do Minho e Galiza. De início, em 1875, o comboio era só entre Porto e Braga, com passagem por Rio Tinto, Ermesinde, São Romão (Coronado), Trofa, VN de Famalicão, Nine, Tadim. A Braga só lá chegou mais tarde, em 1884.
É por esta ocasião que surgem novos traçados e o comboio passa também a servir Barcelos, Viana do Castelo, Valença, todo o Alto Minho e Galiza. Ainda hoje a estação de Nine continua a ser um entroncamento do ramal de Braga. Curioso que só em 2004, graças ao Campeonato da UEFA organizado em Portugal é que a linha de via única passou a ser via dupla dando origem à circulação dos comboios nos dois sentidos, e se poderem cruzar. Somos lentos, mas com o tempo lá vamos indo.

PS. fotos colhidos na net.

Sem comentários:

Enviar um comentário