domingo, 14 de maio de 2017

45 - Antologia CTMAD - Carlos Loures

 
Carlos Loures, nasceu em Lisboa em 1937. Entre 1964 e 1966, teve a seu cargo a secção de crítica de poesia do Jornal de Notícias, do Porto. Foi funcionário da Radiotelevisão Portuguesa de 1960 a 1961, da Fundação Calouste Gulbenkian de 1962 a 1971 e director executivo de uma editora de 1971 a 1995. Na qualidade de empresário e de profissional liberal, manteve nos dez anos seguintes a actividade editorial. Diplomado em Técnicas Editoriais pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e membro da Associação Portuguesa de Escritores, dedica actualmente todo o seu tempo à criação literária.

Publicou cerca de duas dezenas de livros, entre os quais: Arcano Solar (1962); A Voz e o Sangue (2ª edição, 1968); A Poesia Deve Ser Feita Por Todos(1970); O Cárcere e o Prado Luminoso (1990); O Atlas Iluminado (2014). Em 1968, foi editada a sua Antologia da Poesia de Trás-os-Montes e Alto Douro. De colaboração com Manuel Simões, publicou outras três antologias poéticas de autores portugueses Hiroxima (1967), Vietname (1970) e Poemabril (1984).O Ministério do Amor (1970, teatro);  Na ficção, publicou a trilogia 1968 (Talvez um Grito, 1985, ), A Mão Incendiada, 1995) e o O Xadrez sem Mestre, 2012). Publicou também o romance A Sinfonia da Morte (2008). Baseia-se esta ficção no episódio histórico do Regicídio de 1908.


Sem comentários:

Enviar um comentário