terça-feira, 21 de março de 2017

Umas verdades


Parece que o presidente do Eurogrupo disse para aí umas verdades. Jeroen Dijsselbloem, acusou o Sul da Europa de desperdício de dinheiro em "copos e mulheres", durante a crise que conduziu aos resgates financeiros de países como Portugal, Grécia ou Espanha.
Se é em “copos e mulheres”, não o sabemos, mas que é em qualquer coisa, lá isso é. E qualquer coisa que não condiz nem com os preceitos morais nem éticos, com os quais a Europa foi fundada.
É claro que a escumalha veio logo dizer “cobras e lagartos” do holandês. É claro que Jeroen Dijsselbloem tem razão no que diz respeito aos países do sul, quanto aos gastos e quanto à solidariedade dos países do Norte relativamente aos países mais afetados pela crise das dívidas soberanas.
A escumalha pode não gostar do que ouviu, mas o que ouviu é a verdade:
"Como social democrata, eu atribuo uma importância excecional à solidariedade. Mas também há obrigações a cumprir. Não se pode gastar todo o dinheiro em copos e mulheres e, depois, pedir ajuda".
Mas Jeroen disse mais. Disse que a solidariedade na eurozona só pode ser assegurada se todos os governos cumprirem as regras da dívida e do défice. E acrescentou: "A ideia de que o facto de ser rigoroso no cumprimento de regras e regulamentos, e de os levar a sério, significa que estou a atacar alguém é profundamente errada".
Tudo isto é verdade, com é verdade que Portugal, em quarenta anos, já foi quatro vezes à BANCARROTA (2011, foi a quarta), e para lá caminha pela quinta vez a passos largos.

1 comentário:

  1. Sem dúvida que o homem tem razão,só que empregou uma metáfora mas os inteligentes do meu país ficaram ofendidos,não gostam de ouvir as VERDADES

    ResponderEliminar