quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Valha-nos o Presidente da República, Prof. Marcelo Rebelo de Sousa


JORGE LAGE
Sou admirador do Prof. Marcelo e tive a honra de o ter a presidir a um evento de educação, dos Clubes da Floresta das Escolas, que organizei, em Celorico de Basto, em 2011. Devo-lhe a atenção de destacar na TVI os meus livros, «Castanea uma dádiva dos deuses» e «Memórias da Maria Castanha». Se ainda fosse comentador talvez destacasse o meu último livro, «Maria Castanha – Outras Memórias», que já lhe fiz chegar à sua residência. Fiz campanha, nas últimas eleições presidenciais, pelo Professor Marcelo na imprensa e na net. Por isso, entendi que só ele pode influenciar a actual «Geringonça» (palavra popular no Mirandês) para ter um pouco mais de vergonha na cara. Ora bem, pior, ora mal, estava eu de férias natalícias no Canadá e chegou-me a notícia do desaforo deste governo sorridente (mas, a rir, a rir, é que o macaco foi… - diz o povo na minha terra). Este governo descobriu forma de castigar gente séria e honrada passando-lhe um atestado de ignorância ou demência, sem mais. Então não é que criaram uma forma de humilhar e aviltar a nossa gente da terceira idade em que eu e o Presidente nos incluímos (temos a mesma idade)? Ao tornar obrigatório aos maiores de 65 ou mais anos a frequência de um curso de «Segurança Rodoviária» para podermos renovar a carta de condução? É, ainda, um acto salafrário ao quererem sacar mais uns euros do nosso bolso e roubando-nos um pouco do tempo que nos resta para a partida final. Desde que me reformei, acabou-se a boa vida, que, geralmente, tinha como funcionário público. Voltando ao desaforo deste governo, no meu comum entendimento, penso que só os clínicos estão habilitados a atestar, depois de exames físicos e psíquicos, para conduzir ou não. Assim, caro Presidente, Prof. Marcelo, devia ser dito ao Ministro ou Ajudante, que devem ter mais que fazer do que incomodar, rotular e discriminar, as pessoas da terceira idade, que são as que menos acidentes causam. É ver as estatísticas de sinistralidade rodoviária. Gostava que tornassem público quando o Presidente, os Ministros e Ajudantes, já na terceira idade, vão frequentar aulas de código, para nos inscrevermos nas mesmas (eu, que fiz o curso de licenciatura sem nunca frequentar uma aula e propunha-me a exame e tratava da vida). Assim, considero um vexame e uma discriminação que, por um decreto, obriguem pessoas que nunca tiveram um acidente ou tiveram uma ou duas amolgadelas durante toda uma vida. Já viu, Senhor Presidente, se a moda pega, obrigam os médicos com mais de 65 anos a frequentar aulas de medicina, para continuarem a exercer, ou os advogados e juízes a frequentarem aulas de Direito? Parece-me que o que querem é meter a mão no nosso bolso e incomodar-nos. Que esses políticos tenham juízo… ou: - roubar a uma estrada! - Soi dizer-se na minha terra.

Sem comentários:

Enviar um comentário