quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A maioria dos meus livros voaram


JORGE LAGE
No espaço de um mês faço contas aos livros «Maria Castanha – Outras Memórias», que ainda há em stock e já poucos restam para satisfazer os vários compromissos assumidos. Muitos amigos vão ficar sem a minha tradicional oferta e se quiserem ter este meu livro terão de adquiri-lo.
Este pequeno texto é a antítese do que vos deixei no jornal anterior, em que vos dizia que «os tempos não são os melhores para a cultura regional e local e muito menos para a edição e venda de livros».
Se calhar sou um privilegiado ou, talvez, uma pessoa de imenso trabalho e rigor. Assim, quem tiver interesse em consultar ou adquirir o meu livro vai ter de ir, com tempo, às livrarias em que está à venda e são poucas: Livraria Minho – Braga, Livraria Académica – Porto, Livraria Traga-Mundos – Vila Real, Livraria Rosa d’Ouro – Bragança, Antígona/Isabel Viçoso – Chaves, Livraria Aguiarense – Vila Pouca de Aguiar, Livraria Dinis – Valpaços, Livraria Cristina – Mirandela e Posto Municipal de Turismo de Vouzela. Os stockes previstos não vão ser repostos.
As pequenas edições de autor fazem das minhas obras, livros raros e um bom investimento para quem os compra. Por isso, ainda não vi nenhum livro meu nos alfarrabistas. Um dia, lá terão que aparecer, quando os espólios bibliográficos dos meus leitores forem vendidos e isso é a ordem natural da vida.
Estou agradecido às autarquias, às livrarias referidas e aos leitores que adquiriram «Maria Castanha – Outras Memórias».
Jorge Lage – jorgelage@portugalmail.com  – 07DEZ2016

Provérbios ou ditos:

             Ao assar as castanhas, as que estouram são as mentiras dos presentes.
             Quem quer bom colmeal, cresta pelo Natal.

             Para cura novo sacristão velho.

Sem comentários:

Enviar um comentário