domingo, 20 de novembro de 2016

Ano da Misericórdia

Por: Costa Pereira -Portugal, minha terra

O Jubileu da Misericórdia foi um Jubileu extraordinário que teve inicio oficialmente a 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição, com a abertura da Porta Santa da Basílica de São Pedro. Como na sua carta de Novembro diz o prelado do OPUS DEI, D. Javier Echevarría :“Passou quase um ano desde que o Santo Padre abriu a Porta Santa, em primeiro lugar no coração de África, e depois na Basílica de S. Pedro.
Ao aproximar-se o final deste ano jubilar, que terminará na Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, a 20 deste mês, recordamos os eventos que ocorreram em todo o mundo. Os mais importantes aconteceram, sem dúvida, na intimidade de cada pessoa com o Senhor. Só Deus sabe bem quantas pessoas voltaram a reconciliar-se com Ele, talvez depois de muitos anos de afastamento ou de tibieza”. Diz mais: “O encerramento do Ano Santo não significa, portanto, um ponto de chegada para passar a outra coisa, mas sim um ponto de partida para caminhar com renovado entusiasmo pelo caminho do nosso progredir cristão. Desde o baptismo, todos nós, os cristãos, possuímos o sacerdócio comum, que nos leva a praticar a misericórdia com um profundo sentido da filiação divina”.
 Além da Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, festa instituída pelo papa Pio XI, em 1925, o mês de Novembro é também o Mês das Almas e por isso as do Purgatório são as mais recordadas durante este tempo e delas diz o Catecismo, no ponto 1031: “ A Igreja chama Purgatório a esta purificação final dos eleitos que é absolutamente distinta do castigo dos condenados (Catecismo, ponto 1031). Também São Josemaria Escrivá, diz no Sulco: ”O Purgatório é uma misericórdia de Deus, para limpar os defeitos dos que desejam identificar-se com Ele” (Ponto 889).
É um mês que encerra com o inicio da "novena" da Imaculada que termina no dia 8 de Dezembro.

Sem comentários:

Enviar um comentário