sábado, 25 de junho de 2016

Um dos adornos arquitectónicos de Sintra

Por: Costa Pereira -Portugal, minha terra



 Neste postal, que por acaso até me foi enviado de Lisboa para a Praia do Pedrógão, em 02/08/ 82, onde estava de férias, podemos apreciar três dos mais importantes monumentos públicos da capital que são também dos mais visitados e admirados da urbe lisbonense. Temos em grande destaque o Padrão dos Descobrimentos, obra do arquitecto Cottinelli e do escultor Leopoldo de Almeida, que numa primeira fase foi erguido em 1940 e integrado na Exposição do Mundo Português; e finalmente é reconstruído em 1960 para assinalar os 500 anos da morte do Infante D. Henrique. Outro importante monumento é a Torre de Belém, o mais expressivo de Lisboa, que vizinho do Padrão, se situa também na margem direita do Tejo, onde outrora existiu a praia de Belém. A escassos metros fica o monumental mosteiro dos Jerónimos ou Mosteiro de Santa Maria de Belém, que foi da Ordem de São Jerónimo. Obra do século XVI, e como a Torre de Belém ícones da arquitectura do reinado de D. Manuel I.
Mas não se fica por aqui esta freguesia da zona ocidental de Lisboa, outro dos seus atractivos turísticos é o Museu dos Coches que até há pouco esteve situado no antigo picadeiro do Palácio de Belém e agora mudou para edifício próprio, construído de raiz no espaço que foi as Oficinas Gerais de Material de Engenharia, a minha casa de trabalho durante muitos anos. Foi inaugurado, em 23 de Maio de 1904 por iniciativa da rainha D. Amélia, esposa do Rei D. Carlos I.  Este postal não tem data, mas já tem uns anos bons.
Deixamos Belém com o seu muito que tem para visitar , do mais famoso ao mais singelo - como o Chão Salgado - e tomando a direcção da foz do Tejo até Cascais, para daqui a caminho do Guincho, fazer uma visita à Boca do Inferno. Mais concretamente, a Boca do Inferno situa-se na costa Oeste da vila de Cascais, e o nome de “Boca do Inferno” é atribuído por analogia morfológica e ao efeito assustador que as ondas ali se fazem notar. Local de lazer e onde se pode gozar de uma paisagem maravilhosa, só se recomenda cuidado porque a falésia é desprotegida. E o mar gosta dos atrevidos. Sempre que passo por ali, não dispenso uma paragem demorada. Postal que me foi enviado em 27/03/72, por uma pessoa amiga de Travassos-Bilhó (M. de Basto)
 Um pouco à frente da Boca do Inferno fica a ventosa praia do Guincho e não muito afastado temos o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa. Não constando no programa desta visita, seguimos por Malveira da Serra, direitos à Lagoa Azul com destino a São Pedro de Penaferrim, ao encontro do Palácio da Pena, e este postal que recebi em 22/09/72, mostra um pormenor seu. Localizado na vila de Sintra, o Palácio Nacional da Pena, vulgarmente designado por Palácio da Pena ou Castelo da Pena, este histórico imóvel representa uma das principais referências do Romantismo arquitectónico do século XIX no mundo, distinguindo-se como o primeiro palácio nesse estilo em toda a Europa. É o monumento mais visitado de Portugal, e um dos adornos arquitectónicos de Sintra

Sem comentários:

Enviar um comentário