quarta-feira, 1 de julho de 2015

Na terra-berço de Santa Teresa


Por: Costa Pereira Portugal, minha terra.

 Na sequência do post anterior, aí vai mais este: Ávila é uma cidade espanhola banhada pelo rio Adaja. É sede de município e dá o nome a uma província da comunidade autónoma de Castela e Leão. Dista de Alba de Tormes cerca de 100km através da SA-114 e A-50. Situada a 1182m de altitude é a cidade mais alta de Espanha.
Como província Ávila é predominantemente agrícola e pecuária. Ali se produz em abundância: cereais, legumes, beterraba, vinho e azeite. Na pecuária a principal exploração é o gado bovino. A maior parte da província ocupa a planície do Douro, a qual é limitada a sul pelo maciço da Serra de Gredos e de outras serras do Sistema Central. Os vales dos afluentes do Douro, a norte, e dos do Tejo, a sul são muito férteis. É uma província rica em monumentos históricos e artísticos.
Cidade amuralhada, em 1985, Ávila e suas igrejas extra-muros, foram incluídas na lista do Património Mundial da UNESCO.
Praça Maior de Ávila
Dos mais visitados monumentos é o Mosteiro da Encarnação, onde Santa Teresa de Jesus viveu 30 anos (1535-1562) como monja, e de 1571 a 1574, como priora. Neste mosteiro, onde São João da Cruz foi capelão e confessor, ainda se pode ver muitos objectos de Santa Teresa e de São João da Cruz bem preservados. Também se pode ver a cela onde a Santa viveu muitos anos. A Igreja ao lado conserva o local onde ela orava e assistia às missas.
Igrejas monumentais , palácios e muralhas é o forte desta cidade terra-mãe de Santa Teresa de Jesus. Antes de iniciar uma visita à cidade amuralhada, importa do exterior ver a urbe do miradouro dos “Quatro Postes”. Um emblemático monumento religioso constituído por quatro colunas dóricas de cinco metros de altura e no centro, sobre uma peanha, uma cruz de granito. Entre outras lendas conta-se que ainda criança, Santa Teresa e seu irmão Rodrigo foram detidos por um seu tio quando projectavam fugir para a terra dos infiéis e morrerem mártires, onde terá deixado as sandálias e pronunciou a famosa frase: "De Ávila, ni el polvo"= De Ávila, nem o pó.
Do importante património arquitectónico, artístico e cultural que a cidade de Ávila oferece a quem a visita, a igreja românica de São Pedro, construída no Séc. XII é uma dessas maravilhas a visitar na Praça do Mercado Grande.
Junto ao presbitério da Igreja da Santa fica a porta de entrada na “capela do nascimento” que se deu a 28 de Março de 1515, em Gottarrendura.
Nessa data nascia uma menina a quem foi dado o nome de Teresa Sánches de Cepeda Dávila y Ahumada.   Nessa igreja celebrou o nosso capelão a missa de sábado, dia 20.
E para nos despedirmos, antes de deixar a amuralhada cidade, tirou-se  ao foto em grupo para assim concluir, em ano jubilar, uma visita a Ávila quando se celebra o V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus ( 1515-2015). O dia terminou, com jantar e dormida no Hoteles2, porque ao outro dia, também era dia.



Sem comentários:

Enviar um comentário