terça-feira, 30 de junho de 2015

Academia de Letras de Trás-os-Montes completou 5 anos


Barroso da Fonte
 Decorreu no dia 6 do corrente, em Bragança, a assembleia geral destinada a eleger os corpos sociais para o próximo triénio  da Academia de Letras de Trás-os-Montes.
    A morte prematura do seu último presidente da Direção – Amadeu Ferreira – fez com que esse mandato fosse interrompido, quando ainda faltava um ano do seu  exercício.  António Tiza, vice-presidente, não quis assumir a presidência. E Ernesto José Rodrigues, presidente da Assembleia Geral e seu primeiro Presidente da Direção, convocou a coletividade para o dia 6 de Junho. Foi uma Assembleia pacífica e pouco concorrida. O assunto principal era a eleição dos novos Corpos sociais para o próximo triénio. Apresentou-se apenas uma lista. Exerceram o direito de voto, por votação secreta, 20 associados, resultando 18 a favor  a 2 brancos.
     Ficou assim constituída: Assembleia Geral:António Manuel Monteiro, Maria da Assunção Anes Morais e João Cabrita. A direção passou a ser liderada por António Cardoso Chaves, José Mário Leite, Maria Idalina Alves de Brito, Carlos Ferreira e Pimenta de Castro. Para o Conselho Fiscal foram eleitos: João Barroso da Fonte, José Fernando Rua de Castro e Cláudio Amílcar Carneiro.  Para evitar nova reunião entre os eleitos, alguns residentes, outros dispersos pelo país, o Presidente da AG cessante considerou empossados todos os onze eleitos. De imediato António Chaves reuniu com os eleitos que estiveram presentes, delegando em Maria Idalina Brito e em Maria da Assunção Morais que transitaram da direção anterior, competências para receberem os dossieres, e para  elaborarem as atas e restantes formalidades de modo a operacionalizar a Academia que  reuniu pela primeira vez em 5 de Outubro de 2010. Vai completar cinco anos.
 Na véspera dessa AG o Doutor Ernesto Rodrigues recebeu meia dúzia de representantes de diversas academias Brasileiras que retribuíram idêntica visita feita pelos Doutores Ernesto Rodrigues e António Tiza. Essa simpática comitiva foi recebida nessa mesma tarde pela Câmara,  pelo Professor  Adriano Moreira, patrono da Biblioteca e primeiro sócio honorário.
 Recorde-se que a Academia de Letras de Trás-os-Montes, foi fundada e tem vindo a funcionar na sede da referida Biblioteca, na Praça Camões, 5300- 104 Bragança. Tem atualmente 104 sócios dispersos pela Diáspora. A escritura foi constituída em 12 de de Junho de 2010, sendo outorgantes: Adriano Moreira, Amadeu Ferreira, António Afonso, Regina Gouveia, Barroso da Fonte, Manuel Cardoso, César Afonso, Ernesto Rodrigues, Alfredo Cameirão, Pires Cabral, Virgílio do Vale, Rogério Rodrigues, António Mourinho, José Castro Branco, José Baptista de Sá, Isaac Barreira, Modesto Navarro e Cláudio Carneiro. Nasceu com o objetivo de promover e divulgar as obras literárias, de qualquer género, produzidas por escritores Transmontanos ou sobre temática ligada à região, às suas gentes e ao seu património.  É condição exigida ter, pelo menos, uma obra editada. O valor anual da cota é de 20 euros.
 Nestes primeiros cinco anos já foram publicadas diversas antologias com colaboração dos vários associados. Também podem ser associadas outras Academias nacionais  ou estrangeiras. Mas essas instituições congéneres são propostas, habitualmente, por dirigentes que se conhecem reciprocamente e, conhecendo os sortilégios recíprocos, entendem útil para as próprias instituições.
 O novo presidente da Academia, António Chaves (natural de Montalegre), prometeu aumentar, consideravelmente, o número de associados, aproximando-os e estabelecendo entre eles, formas de contacto e permuta de experiências, neutralizando, dessa forma, a segregação relativamente aos autores do país urbano que não são melhores do que os periféricos, antes beneficiam dos holofotes da cidade. Isso - e só isso - explica que raramente  sejam premiados os autores periféricos, por troca com aqueles que se fabricam encostados aos palcos da fama vazia de conteúdo.
Os escritores Transmontanos que tenham, pelo menos uma obra publicada  e desejem ser associados podem requerer a sua inscrição, solicitando o impresso ou dirigindo-se à Academia através do endereço: academiadeletrasosmontes@gmail.com 
 Também os não transmontanos que elejam essa terra e suas gentes para tema de defesa e valorização nas suas obras podem requerer a sua aceitação nessa Instituição científica.
António Chaves e a sua equipa diretiva têm estado a arrumar a casa. A breve prazo irão ser informados pela Direcção, se possível por via eletrónica, aqueles que já são associados, acerca do plano de atividades para o triénio. E também aqueles de quem tenhamos os contactos, que ainda  desconhecem a existência e que pretendam aderir ao projeto bem nascido em 2010  e já com obra feita. Trás-os-Montes tem muitos mais autores do que aqueles que podem inferir-se do ficheiro deste cinco anos. Este convite é extensivo, aos autores transmontanos, obviamente, dispersos pelo mundo da Lusofonia. Os interessados que ainda não foram ou não venham a ser contactados nos próximos meses, mas se julguem com direito a inscrever-se, contactem a Direção da Academia pelo endereço supra: academiadeletrasosmontes@gmail.com 
                         Barroso da Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário