sexta-feira, 11 de junho de 2021

Lentidão e doença da JUSTIÇA em Portugal e não só (3)


Reflexoes JBM _Junho _2021+c» Lentidão e doença da JUSTIÇA em Portugal e não só

 

J. Barreiros Martins Prof. Cat. Emérito Jubilado da Univ do Minho

 

Olhando para a situação mundial vê-se a importância que hoje tem a Propaganda Panfletária com Notícias Falsas (Fake News) hoje associadas a muitos factos que apodrecem as sociedades em vários países europeus. Até o Papa Francisco já se mostrou indignado com a destruição da Família, como ela é concebida pelo Cristianismo Católico e Outro. Tem de haver um Pai e uma Mãe em cada Família. Não pode haver dois pais ou haver duas mães em cada Família, como dizem (e difundem) os apologistas da “Família Moderna”. Depois, ensina-se na Escola “Moderna” em Portugal (e não só) a “Igualdade do Género” logo a partir de Instrução Primária e daí a curiosa anedota de uma menina nua de 5 anos ao pé um menino nu de 6 anos, que diz para ele: “A nossa Professora diz que menina e menino são iguais no género, mas o teu piló não é igual à minha covinha”.


E eu ando há anos a esperar ver em campo equipas de futebol com 6 mulheres e 5 homens com uma mulher como árbitro e homens “liners”.

É claro que “para trabalho igual deve haver salário igual”. Portanto, em termos de igualdade, a mulher deve ser igual ao homem. Mas, infelizmente isso não acontece, mesmo em casos de postos importantes. A minha Orientanda do meu Banco, pessoa com licenciatura em Economia e altamente eficaz, teve uma criança e usou a licença de parto (2 meses) que a lei lhe permite. No dia em que regressou ao Serviço, uma semana antes do termo dessa licença, foi-lhe comunicado pela Administração lisboeta, que ela tinha sido “despromovida” e que o novo salário era metade do antigo. Claro que ela “voou” logo para outro banco de Braga, visto que tinha qualidade para isso. E eu também tenho agora conta aberta nessoutro banco.

 Por outro lado, eu continuo à espera que haja madres (e não só padres) a dizer missa. O Papa Francisco ainda não chegou aí... Num mosteiro de Braga onde a minha esposa, (médica) às vezes presta serviço gratuito, eu falo com a freira mais velhinha que lá há, a qual tem família de médicos, advogados, etc., e eu digo-lhe exactamente que continuo à espera que haja madres a dizer missa, para o Mosteiro não ter de chamar um padre para a Missa Dominical. E a velhinha sempre me responde: “isso não, isso não...”

Olhando para o mundo muçulmano a situação é atroz: “A meninas de tenta idade, por exemplo na Guiné Bissau, é extraído o clitoris para não terem prazer no acto sexual. As “parteiras” que fazem esse terrível acto de capar, em geral, usam lãminas de barba, por vezes enferrujadas que provocam infecções na criança que, levam à morte dela.

Isso acontece porque na Religião Muçulmana (e em países africanos que toleram o concubinato) a mulher deve apenas para servir o “Homem Macho”, e tratar das tarefas caseiras, incluindo a criação dos filhos que tem dele.

Numa Família Muçulmana, se alguma Jovem se enamora de um Jovem de idade semelhante, tem logo de abandonar o país onde nasceu e fugir antes de ser morta pelos familiares à pedrada e enterrada viva. Há vários casos relatados na imprensa relativamente a uma jovem paquistanesa.

Os talibãs continuam hoje (como ontem) a defender esses processos. Ainda há poucos dias em Cabul, capital do Afeganistão, talibãs armados de metralhadoras conseguiram romper o cerco de guardas de uma escola feminina e mataram todas as crianças dessa escola. O governo do Afeganistão que é contra essas barbaridades e legisla a favor da igualdade de educação de alunas e alunos, não tem conseguido evitar com os seus soldados, tais acções dos talibãs.

Note-se que o pai do Bin-Laden tinha doze mulheres, suas concubinas. A um Irmão do Bin-Laden, bancário na Suiça, um repórter perguntou porque razão ele não tinha comungado com o Irmão  Bin-Laden na promoção do terrorismo mundial. 

Esse Irmão do Bin-Laden respondeu: “ Eu nada tenho a ver com Bin-Laden. Sou filho de outra mulher do meu pai”

E ainda há pouco as leis sul-africanas permitiam o concubinato e até permitiam ao Presidente da República ter 30 (trinta) concubinas...

E assim ainda vai este Mundo Devasso.

Ainda espero ver que melhore. Mas, os meus netos já não se casam nem civilmente e menos pela Igreja. Os meus netos “ameigam-se” com as namoradas e espero bem que não se separem dando origem a novos “ameigamentos”. Claro que não tendo uma companheira para toda a vida, os filhos sofrem com tudo isso. Já tenho um exemplo numa familiar da minha Esposa que, devido a esse desfazer da Família, disparou para um companheiro drogado e teve um filho dele. Felizmente, que o companheiro desapareceu.

Enfim, é a Sociedade pôdre em que vivemos. Em poucos países da Europa a situação se pode considerar boa, a este e outros respeitos. A República da Irlanda, a Polónia, a Hungria e poucos mais (Estónia, Letónia e Lituânia? a Ucrânia?).

 Na Rússia, o Putin, czar cor de rosa; beija a mão do “Papa” Ortodoxo, certamente porque esse “benze” as patifarias putinescas.

 Já não falo do criminoso Erdogan, que mantém nas cadeias os magistrados e os “possíveis” oponentes políticos; comanda a seu belo prazer a cidade de Istanbul, “bicéfala”, quanto a religiões. Em 10 de Julho de 2020 Erdogan anunciou a abertura da antiga catedral Hagia Sophia, em Istambul, que era um Museu, às orações muçulmanas., uma afronta a todo o Mundo Cristão. Até o Papa Francisco se queixou dessa acção.

Voltando ao Chefão Chinês é bom não esquecer os crimes que pratica, pior que os do Hitler. Este matou milhões de judeus com gases e queimou-os em fornos crematórios. O Chefão Chinês manda os potenciais opositores pa um campo de concentração. O CHEFÃO, durante a noite manda prender algum que pensa ser seu adversário. O preso vai para um campo de concentração onde ninguém sabe se é vivo ou morto. Familiares do dito só podem chorar pelo acontecimento. Fotos de câmaras instaladas em satélites, dão conta de uma região chinesa onde se faz agricultura com pessoas a conduzirem animais de lavra. Mas, ninguém sabe onde fica. Tenho um colega e amigo casado com uma chinesa que deu aulas durante uns seis anos em Pekin numa grande Universidade, que o quis contractar, e que teve de sair com a esposa, quando o CHEFÃO deu ordem de expulsão de todos os residentes estrangeiros (como parte da guerra contra o TRUMP). Esse colega vive agora em Portugal, mas tem notícias (secretas) dos familiares da Esposa residentes em Pekin.

Esse meu colega viu muitas vezes grupos dos Falon Gong mormente junto à Universidade em Pequim durante a estada dele na China. De um momento para outro deixava de os ver, porque o Chefão os mandava prender. É uma tristeza muito grande o que está a acontecer. Não pôde deixar de denunciar esta situação. Mandou-me vídeos que mostram pessoas que morrem no campo de concentração onde trabalham 16horas por dia, 365 dias por ano. De imediato aparece junto de um morto um médico especialista em transplantes de fígado ou de rins, etc., de um Hopital onde se fazem transplantes com precisão e rapidez, o qual médico, verifica se o morto tinha esses órgãos a funcionar bem. Quando é esse o caso, levam o morto para o Hospital do médico, o qual extrai do morto os órgãos que são transplantáveis, os quais ficam em frigoríficos apropriados.

Operações iguais são efectuadas nos condenados à morte por tribunais chineses, cujos juízes são nomeados pelo Estado...

Desse modo a China anuncia ao mundo a possibilidade de uma pessoa poder obter um transplante numa semana, pois tem uma enorme reserva de órgãos compatíveis com os do requerente. Assim, há pessoas, dos próprios EUA, que arriscam e vão à China fazer transplante de fígado, ou rim, etc.. Pagam, em dólares, um preço elevado, mas vão. Por exº. no Brasil para se obter um transplante de fígado, tem de esperar-se vários meses para se obter um dador com fígado compatível com o do requerente.

Assim vai este mundo, não só cheio de fake news, mas de acções criminosas que não são punidas.


Braga, Junho de 2021

Reflexoes JBM _Junho _2021» Lentidão e doença da JUSTIÇA em Portugal e não só

J. Barreiros Martins Prof. Cat. Emérito Jubilado da Univ do Minho

 

Sem comentários:

Enviar um comentário