domingo, 6 de maio de 2018

Poemas para a minha mãe



Poemas para a minha mãe

 
Mãe,
Se eu fosse pintor e soubesse pintar,
Pintava o teu retrato, numa folha de papel.
Utilizaria espátulas e as cores mais belas,
E macios pincéis para não ferir a tua pele. 

O teu retrato seria leve como o vento,
E fluente como a luz.
E os teus olhos ficariam lindos,
Como eram, cheios de amor.
Seria um retrato que os mestres
Teriam pena de não ter pintado,
E os vindouros não saberiam fazer igual.
Serias tu, minha mãe, como eras, tal e qual,
E não lhe punha qualquer moldura,
Para não o adulterar.
E depois de pronto pendurava-o ao peito,
Junto a ti, no seu lugar.

…E se eu fosse poeta?


Ah!, se eu fosse poeta, minha Mãe,
E soubesse fazer um poema,
Escrevia-o para ti.
Seria um poema cheio de cor e melodia,
Onde cantaria como és linda,
E quanto eu gosto de ti.

Seria o poema mais belo da terra e do céu.
E depois, encostado ao teu peito,
Recitava-to, em solene harmonia,
E pronto, dava-to, era teu,
E seria a minha maior alegria.

In Livro “O acordar das emoções” – Tartaruga Editora

       6 de Março de 2018 – Dia da Mãe.

João de Deus Rodrigues


Sem comentários:

Enviar um comentário