sexta-feira, 4 de março de 2016

A geringonça, o Orçamento, o folclore e a corrupção


               Os cavalheiros e a dona Catarina                                  As manas!

Na campanha eleitoral, antes de quatro de Outubro (2015), as esquerdas fartaram-se de alardear sobre a austeridade. Principalmente as donas e as manas. Jerónimo foi mais contundente. Costa, fino como o alho, sabia que enganaria Jerónimo por pouco, mas as donas e as manas, essas cairiam na esparrela facilmente. E caíram. Jerónimo caiu porque quis. Seguiu a táctica de Lenine, conhecida de alguns, nos quais nos incluímos.
Formaram a geringonça para apoiarem esta farsa governamental que apenas desfaz (por arrogância) o que outros fizeram. E que não segue (como devia) as regras éticas das soluções governativas deste género da Europa civilizada. Não é por acaso que Portugal está na lista dos cinco países mais corruptos da Europa. Ao nível apenas das antigas repúblicas socialistas da antiga União Soviética!
As donas Apolónia e Marisa
A história do Orçamento de 2016 é por demais conhecida. Fosse a “direita” a apresenta-lo e teria caído o Carmo e a Trindade. Como foram as esquerdas, entenderam os comentadores do costume (medíocres até ao tutano) que era coisa normal. Mas não é. A austeridade, para quem conhece os números e para quem reflecte com seriedade sobre estas questões, está lá. Muito pior que a austeridade da “direita”. Mas o tempo se encarregará de o demonstrar, com as migalhas que Costa resolveu distribuir (cinco cêntimos mensais! - em certos casos). É claro que as donas e as manas, com aquela esperteza saloia e “cérebro de paquiderme”, devastador de tudo o que foi feito, vieram logo dizer que este Orçamento era do P.S. Seguindo o argumento de Jerónimo que, com alguma inteligência, se havia antecipado. Ora o Orçamento não é do PS. O Orçamento é do PS e daqueles que sustentam esta farsa governativa (o Bloco e o PC). Diz o povo, com razão,  que tanto "é ladrão o que vai à horta, como o que fica à porta". O Bloco e o PC ficaram à porta. Esta gente pensa que leva o eleitorado por lorpa, mas não leva. Esperemos por Outubro.
Por seu lado, Costa vai cantando e rindo enquanto continua a enganar o PC (e Jerónimo) e a passar a mão pelo lombo dos bloquistas (das donas e das manas).
Entretanto, fiado neste folclore, o Doutor Centeno veio anunciar (hoje) qualquer coisa para a Administração Pública. Do que anunciou e do que não anunciou, nada disse. Disse as baboseiras do costume, de quando se fala da Administração Pública, esquecendo-se que esta Administração (a Pública) é, desde 2005, a mais corrupta da Europa! Uma Administração que trama uns poucos para favorecer amigos; uma Administração em que os corruptos mudam deste para aquele cargo (Tempo Caminhado: Portugal corrupto).
Os tempos da Primeira República estão próximos (caso não haja um milagre que o impessa). Dentro de dois anos, esteja quem estiver no governo, vai ter que se deparar com um novo resgate, queiram ou não queiram os Pachecos, as Constanças e outros (as) que tais.     Armando Palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário