segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Os Dickens e os confiscos de São José Almeida


Comentário

O que se sublinhou no artigo da jornalista, mostra bem as falácias que a comunicação social, através dos escribas do regime, tem manipulado.
A austeridade a que São José Almeida se refere, foi a austeridade para todos. Almeida desconhece, ou por qualquer razão superior ignora o confisco (ideológico !) perpetrado pela governação de José Sócrates (na altura em que António Costa era seu ministro) ao vencimento de alguns profissionais de várias áreas da sociedade portuguesa (magistrados, professores, e por aí adiante). Confisco que serviu para promover um conjunto de patifes (como é já notório) e que não foi corrigido pelo actual governo, como mandaria a decência (e por essa razão, em Outubro de 2015 pagará o preço respectivo).
No tempo de José Sócrates a austeridade não foi para todos. Foi apenas para alguns. E esses pagaram por todos. São José Almeida, como muitos, escreve do que não sabe, ou do que lhe interessa.

É inconcebível como é que profissionais como Almeida ainda procuram reminiscências positivas numa governação escabrosa que levou o país à bancarrota económica, à decadência social via invídia, cujas consequências se arrastarão por algumas décadas!


Sem comentários:

Enviar um comentário