sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Alheiras Detinha com qualidade testada pela revista Proteste


Jorge Lage
 1- Alheiras Detinha com qualidade testada pela revista Proteste – A revista Proteste fez análise de qualidade a algumas alheiras trasmontanas e beirãs. Para além do que se houve dizer sobre alheiras, é minha convicção que a maioria não tem a qualidade que apregoam. Um dos produtos que falha nas alheiras é o bom azeite, que até nas melhores, é, muitas vezes, substituído pela ordinária banha de porco. Dentro das alheiras que conheço, as duas mais apaladadas, estão no concelho de Vinhais e não constam da listagem da Proteste. Também não constaram da análise da Proteste, o que é pena, as alheiras: Topitéu, Eurofumeiro e Amil. Sobre as badaladas alheiras de caça sempre as vi com desconfiança porque me parece publicidade enganosa e que a Proteste confirma, para as Bísaro (as Bísaro normais aparecem mais para a cauda) e as Artefumo. Curioso é notar que em 15 marcas diferentes são as «Alheiras Detinha», de Mirandela, que levam a melhor sobre as demais analisadas, obtendo o «melhor teste» e a «escolha acertada». Seguem-se mais duas marcas mirandelenses, «Terras do Vento Leste IG» e «Alheiras Angelina» (as «Alheiras Angelina IG», aparecem no meio da tabela). Um dia passei num stand de alheiras em Braga e estavam a apregoar as «bacalhoas» e com ervas e limitei-me a dizer: - quem sabe fazer boas alheiras vende-as bem. Quem não sabe, inventa. Ao ponto de se estragar bacalhau em enchidos. Ainda, em Mirandela nunca conheci morcelas, mas alheiras de sangue ou sangueiras. É preciso sabermos respeitar a nossa cultura, mesmo a gastronómica.


Sem comentários:

Enviar um comentário