sábado, 28 de julho de 2018

Os manos Robles, as manas Mortágua e Catarina, a “loira”



Consta-se que o sr. Robles (que é vereador da Câmara de Lisboa pelo BLOCO) e a sua senhora irmã Lígia (que vive no estrangeiro – os bloquistas são assim, socialismo, socialismo, mas caviar à parte), fizeram um negócio.
Conta-nos ontem o Jornal Económico que o vereador da Câmara de Lisboa e a irmã compraram em 2014 à Segurança Social um prédio em Alfama por 347 mil euros, investiram 650 mil de euros e, em 2017, colocaram-no à venda por 5,7 milhões. Se o negócio se concretizar terá uma mais-valia de 4,7 milhões de euros, ou seja, uma rentabilidade de 470%.
É claro que os dois irmãos Trotskistas não fizeram nada de mais. Segundo as regras da vida, apenas fizeram um negócio. E, ao que parece, seguiram regras aceitáveis. Compraram um prédio decadente, restauraram-no e puseram-no à venda. E segundo parece não prejudicaram os arrendatários que lá viviam, seguindo, portanto, neste caso, uma aceitável conduta ética.
Ressalve-se, porém, que o imóvel não pertencia a um privado, mas sim à Segurança Social, sendo adquirido por um preço muito baixo, em relação aos praticados no mercado!
É claro que ter sido eleito por defender uma ideologia comunista (que até Cuba abandonou recentemente!) e logo a seguir tomar uma conduta capitalista (aquela que o seu partido detesta), em termos ideológicos e de coerência é um problema. Tanto assim é, que o próprio mano Robles, em Março de 2018 lamentou, em entrevista ao Diário de Notícias, que o problema da habitação se venha "a agravar em Lisboa". E disse ainda: "Os preços continuam a aumentar brutalmente e isto está a criar uma crise social. Encontrar casa, seja para arrendar seja para compra, apesar de o crédito para a habitação estar mais acessível, continua a ser proibitivo”. Mas disse mais: "Esta é uma cidade cada vez mais para ricos e menos para lisboetas e para quem quer viver na cidade, para trabalhar, morar, estudar.".
Contudo, o problema é outro.
Os manos Robles conseguiram, com a facilidade de quem come um ovo estrelado, legalizar uma transferência imobiliária, sem problemas, em três anos, coisa que outros não conseguem em décadas.
Há décadas que uma agremiação centenária, sediada em Lisboa, tenta adquirir um edifício sede que lhe dê vitalidade. A troco, propôs à Câmara lisboeta, quase o dobro daquilo que investiram os manos Robles. Todas as tentativas negociais, foram infrutíferas!
Sobre isto gostaríamos de saber o que tem a dizer Catarina, a “loira”. Nada! 
Tanto assim é que a mana Mortágua já veio defender o mano Robles num canal televisivo!
Mas que belo comunismo! Um comunismo próprio da aldeia lusa, uma das aldeias mais corruptas da Europa!

Sem comentários:

Enviar um comentário