quarta-feira, 12 de julho de 2017

O Prelado do Opus Dei em Portugal


Por: Costa PereiraPortugal, minha terra

Na terça-feira, dia 4, chegou a Fátima, vindo de Madrid, o prelado do Opus Dei, Mons. Fernando Ocáriz que tinha à sua espera o vigário-regional português Mons. José Rafael Espirito Santo. À sua espera estava também um pequeno grupo de sacerdotes e outros fieis, entre eles alguns doentes. Depois do tempo de adoração na capelinha das aparições, foi colocar no queimador de cera três velas, duas tinham gravado a vermelho a frase Omnes cum Petro ad Iesum per Mariam (“Todos com Pedro a Jesus por Maria”), a terceira tinha escrito a azul Consummati in unum (“Consumados na unidade”).
Ao jeito de São Josemaria Escriva, a tradição de um prelado da Obra é quando inicia uma visita pastoral a qualquer país, começar sempre por um santuário mariano, que em Portugal tem o Altar do Mundo por primazia. Assim foi com o Fundador, com o Beato Álvaro del Portillo, D. Javier Echevarria, e agora com Mons. Fernando Ocáriz. A seu tempo, o prelado tinha mostrado este desejo de em ano de “Centenário das Aparições” vir rezar no local onde Nossa Senhora apareceu aos três pastorinhos, Lúcia, Santa Jacinta Marto e São Francisco Marto. E cá o tivemos.
Depois continuou a viagem até Vila Nova de Gaia, onde no Centro de Convívios de Enxomil se instalou até sexta-feira, dia 7. Nesse dia, antes de sair, ainda se encontrou com dois grupos numerosos de pessoas da prelatura, no auditório da Fundação Cupertino de Miranda, no Porto. Ali recordou, como São Josemaria Escriva, que em todas situações da vida: “o nosso modo de reagir seja o modo de reagir de Jesus Cristo”. Mas, como conseguir? “Com a oração, e com a Eucaristia, pois na Eucaristia transformamo-nos no que recebemos”. Na missa, em cada missa, “realiza-se a redenção do mundo”. - Só lamento não ter podido assistir. Mas em espírito estive presente.
  

Sem comentários:

Enviar um comentário