sexta-feira, 26 de maio de 2017

Uma Greve fantoche


Qual foi o prejuízo desta greve para a governança? Nenhum E para os partidos que a apoiam? O óbvio: nenhum!
Então porque a fizeram? Para a conversa fiada do costume e para a festança das esquerdas portuguesas.
Só quem não tem conhecimentos de Lenine, Estaline e outros iguais é que vai nesta conversa fiada desta greve fantoche. As mentes vulgares, claro. Os partidos que apoiam a governança, manipulam os seus eleitores com esta conversa fiada, e o Partido Socialista, canta e ri porque o Orçamento já está acordado. O povo, grotescamente manipulado, cai imbecilmente na esparrela.
Entretanto os jornalecos dos amigos, juntam-se à festa exaltando a ilusão dos 2,8% do crescimento da economia. Não referem, contudo, que o bolso dos portugueses está igual a 2011 e que a redistribuição dos rendimentos é uma falácia, porque o vencimento médio não chegou a elevar-se além dos 14 euros! E entram em deleite com a redução do défice de 4,4 (que, na realidade, sem determinado défice bancário se situou em cerca de 3%)  para 2,1 (2016), esquecendo-se que esses 4,4 (ou c. de 3%) são a redução de um défice de 11,2 (2010) quando o país estava em BANCARROTA. Mais - os amigalhaços como o sr. Baldaia da TSF (socialista e comunista) debitam asneiras para denegrir antigos governantes. Esquece-se o cavalheiro que o problema bancário teve muito a ver com as condições impostas pela Europa.
No seguimento, o sr. Nogueira esgueirou-se das televisões, mandando avançar a dona Ana Avoila. Da medida FASCISTA do congelamento das carreiras pouco ou nada diz, até porque nem é a principal causa da greve. Mas não é de agora, é desde 2005 (pelo menos)! Tanto um como outra não foram por ela apanhados, daí a irrelevância na “luta”!
Para o país sim, houve prejuízo. Mas essa malta para o país está-se borrifando. O que interessa é o foguetório que mais dia menos dia nos levará ao trambolhão.

Sem comentários:

Enviar um comentário