quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Bragança abre Centro de Interpretação Sefardita

CULTURA

Abriu esta segunda-feira, em Bragança, um espaço dedicado à história e à memória dos Judeus em terras transmontanas.

Afonso de Sousa / TSF

O Centro de Interpretação Sefardita, situado no núcleo histórico da cidade, pretende dar a conhecer as vivências dos "cristãos novos" desde o século XV até hoje, e mostrar os aspetos culturais e sociais das privações diárias dum povo perseguido que deixou muitas marcas em Trás-os-Montes
Pode-se dizer que o espaço abre na rua dos museus. Ao fundo da "Abílio Bessa" está o centenário Museu Abade de Baçal e "paredes meias" com este novo Centro Interpretativo da cultura Sefardita encontra-se o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais.
A casa, estreita de dois andares, recebe-nos com uma oliveira estilizada em toda a parede direita do rés-do-chão. É uma árvore grande feita de muitas pequenas meias bolas escuras que, dentro de cada uma, têm inscritas as localidades por onde passaram comunidades de Judeus. Do lado esquerdo cinco painéis recordam-nos a vida de alguns dos principais investigadores da cultura Judaica em Portugal. Estão lá Orlando Ribeiro, Leite de Vasconcelos e o transmontano Abade de Baçal.

Sem comentários:

Enviar um comentário