segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Aniversário de BARROSO da FONTE - 19 de Fevereiro - 2017


JORGE LAGE
Meus caros Amigos!
Depois de um bom naipe de amigos ter dado os parabéns, ao nosso ilustre amigo, Dr. João Barroso da Fonte, lá venho eu quase ao cair do pano rotativo do planeta Terra, para dizer que não me esqueço, nem nunca me poderia esquecer, porque o silêncio, muitas vezes, quer dizer bem mais que palavras de circunstância.
Desde que o conheci pessoalmente ou trocámos correspondência nunca arredei pé e o Dr. Barroso da Fonte sabe que nunca desisto de defender os bons amigos. Os bons amigos, como o Dr. Barroso da Fonte, a quem tanto devo, e a quem tanto a nossa região deve. Depois, ao dia do seu aniversário, que coincide com datas e factos importantes, como a Muralha Fernandina, a fundação do Ateneu Portuense, protestos e justas lutas do povo broeiro e sei lá quantas mais...
Nesta data, três anos antes de eu nascer, era o primeiro dia de um grande Montalegrense, Barrosão, Alto-tameguense, transmontano e luso, o Dr. Barroso da Fonte que, como a maioria de nós, subuiu a pulso a nodosa e escorregadia «corda da vida».
Os meus parabéns, com um sentido abraço.
Nota: neste dia faz a minha neta Laurinha, 23 meses de vida.
Abraço para todos os seus muitos amigos,

Jorge Lage

jorgelage@portugalmail.com
Citando José Gonçalves <jmbg@portugalmail.pt>:
MUITOS  PARABÉNS AMIGO!
19 é importante também, porque, é o dia em que nasceu João Barroso da Fonte e, sem ele, o Jornalismo, Barroso, e inúmeras outras Instituições, não seriam o que são!
Obrigado Ilustre Amigo, pelo muito que tem realizado.
Desejo, mais um dia 19 de Fevereiro, muito Feliz e com Boa Saúde.
Abraço
Zé Mª Gonçalves

Citando João Barroso da Fonte <barrosodafonte@gmail.com>:
Amigo (s): partilho esta condição de incapacidade para 79. 78 já cá cantam. Daqui a mais um, se cá estiver, mandar-lhe-ei um abraço. Foi  o cronista da biblioteca do Porto que se lembrou de me avisar.  Barroso da Fonte
---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Adriano Silva <adrianocronista@gmail.com>
Data: 18 de fevereiro de 2017 às 09:03
Assunto: Fwd: FW: 19
Para:

Hoje é dia de dar os Parabéns ao jornalista Barroso da Fonte!

19 de fevereiro de 1835 – Única reunião da Associação “Amigos das Artes”, fundada no Ateneu D. Pedro (Museu Portuense), na atual Biblioteca Pública, participando João Gandra, bibliotecário da BPMP. Biografia no “Boletim dos Amigos do Porto”, 2015, p. 129-145.

19 de Fevereiro de 1906 – Carta de Alberto MacBride a Luís da Câmara Reis, onde «desculpa-se pelo seu silêncio, justificando-se, por ter apanhado uma gripe e pela participação num baile organizado pelos alunos de medicina, tecendo comentários a respeito». Espólio Alberto de Serpa na BPMP: cota M-SER-1304[28].

19 de fevereiro de 1916 – Tumultos em Avintes (V.N. de Gaia) por causa da carestia do milho (“Germinal”, mar.1916, p. 61; consultável na BPMP na cota P-A-1594).

19 de fevereiro de 1917 – Carnaval na prisão: por se terem mostrado nas ruas, com os seus trajes regionais ou fantasias anacrónicas, são presas 24 pessoas, sendo 21 do sexo feminino. Estas insólitas prisões dão conflitos com a polícia (“O Tripeiro”, fev.1967, efem.).

19 de fevereiro de 1926 – As Muralhas Fernandinas, construídas de 1374 a 1376 (no reinado de D. Fernando), apesar de terem sido iniciativa do Rei D. Afonso IV em 1336, são declaradas Monumento Nacional por Decreto 11.454. Tinha 6 portas, 27 torres, 7 postigos e c. 5000 metros. Ainda existem 3 troços: o dos Guindais, o das Virtudes ao S. João e da Ribeira na Rua de Cima do Muro. De acordo com o Porto a Património Mundial (p. 114-115) apenas restam 2: o pano de Santa Clara (restaurado nos anos 20) e o de S. João Novo.


19 de Fevereiro de 1929 – Bilhete postal de Raúl Proença a Luís da Câmara Reis, onde «pede ao destinatário que responda ao M.M. sobre o guia dos Açores. Sabe que fez uma conferência no "Grémio dos Açores" e que seria importante esse auxílio para o guia dos Açores. Em relação à Madeira e Continente está tudo pronto. Diz enviar mais um artigo com muito sacrifício». Espólio Alberto de Serpa na BPMP: cota M-SER-972[13].

19 de Fevereiro de 1929 – Bilhete postal de Rodrigues Lapa a Câmara Reis, onde «agradece a encomenda que entregou a sua sogra; fala sobre seu livro, pedindo que lhe envie as provas e mais a folha 8, pois precisa dela para fazer o índice, a lista de correções e os aditamentos; pergunta ao destinatário quando pensa em ir a Paris, pois poderia servir de guia a seus sogros durante a viagem». Espólio Alberto de Serpa na BPMP: cota M-SER-1159[12].

19 de Fevereiro de 1932 – Carta de Luís Proença a Câmara Reis, onde «fala da urgência em trazerem rapidamente seu irmão Raul para Portugal, uma vez que recusa todos os alimentos, sendo opinião dos médicos, que a viagem se faça por mar; pede que enviem o dinheiro para a viagem dele e do enfermeiro que o acompanhará; fala a respeito de dinheiros que irá receber e com o qual o destinatário poderá contar». Espólio Alberto de Serpa na BPMP: cota M-SER-967[5].

19 de Fevereiro de 1935 – Carta de João Gaspar Simões a Alberto de Serpa, onde «diz que não sabe se a próxima Presença será impressa em Coimbra, pois requereu para ser colocado na Imprensa Nacional de Lisboa; o lugar em Coimbra não é bem pago nem tem nenhum futuro material no horizonte; pergunta se não haverá no Porto algum jornal que queira artigos literários do Autor, pagos; pede ao destinatário que procure os senhores da "Civilização" e lhes diga que, ou eles dão a novela do Autor ou pagam 100$00, que é o preço acordado pela publicação; se eles derem a novela, irá revê-la e mandá-la para o "Momento"; descobriu uma pequena conferência feita na Academia de Lisboa, que se chama "Da inutilidade de Arte" e aso não se importem de publicar conferências, enviá-la-á». Espólio Alberto de Serpa na BPMP: cota M-SER-1249[11].

19 de fevereiro de 1936 – Morre José Pinto Leite, aos 74 anos, fundador do estabelecimento “A Noiva” e que durante 26 anos trabalhou em prol da Ordem da Trindade.

19 de Fevereiro de 1936 – Carta de [José Rodrigues] Miguéis a Luís da Câmara Reis, onde «fala de sua solidão, e do seu trabalho; refere o seu novo romance dizendo que ainda não tem nome, mas, para si, passará a ser "Baltasar"; diz ter sido o destinatário responsável por este caminho da escrita que trilhou na "Seara Nova"; para que lhe possam dar o visto de imigrante, terá de provar à policia americana que possui meios de subsistência, atreve-se, a pedir-lhe, uma carta que justifique a proveniência de um dinheiro que alguns amigos lhe depositaram na conta; essa carta, deverá confirmar o recebimento de uma determinada quantia, pela compra dos direitos do seu romance "Baltasar" e, possuir carimbo da "Seara Nova" - (empresa); pergunta se o Lapa não poderia fazer o mesmo pelo "Diabo", como última prestação de "Uma aventura Inquietante"» (Espólio Alberto de Serpa na BPMP: cota M-SER-743[52]).

19 de fevereiro de 1937 – Alguns membros da Câmara vão ao atelier de Henrique Moreira apreciar a escultura “O Salva Vidas”, que vai aformosear a Esplanada da Foz (“O Tripeiro”, fev.1987, efem.).

19 de fevereiro de 1939 – Nasce, em Montalegre, Barroso da Fonte, mestrado em Filosofia, militar em Angola, diretor da antiga Direcção-Geral da Comunicação Social do Porto, vereador da Câmara de Guimarães (1986-90), diretor dos Paços dos Duques de Bragança e Castelo da Fundação (1990-95), diretor do jornal “O Comércio de Guimarães” (1984-94) e de “Poetas e Trovadores”, “A Voz do Combatente” e da revista “Gil Vicente”, colaborador em vários jornais e autor de livros. Fundou o GI – Gabinete de Imprensa, em 3 de março de 1976, juntando diretores de jornais diários e de jornais locais. Criou cursos de jornalismo e acreditou jornalistas, antes do Governo ter criado o cartão profissional. Os jornais do G.I. podem ser consultado na BPMP nas cotas P-C-678 e P-C-701, mas se quiser saber tudo, pesquise no catálogo online da BPMP, disponível em http://bibliotecas.cm-porto.pt, por assuntos: Jornalismo – Periódicos (Barroso da Fonte, “O Conquistador”, 14 out.2016, última pág.).

19 de fevereiro de 1939 – Cortejo de Carnaval dos Fenianos anima as ruas do Porto (“O Tripeiro”, fev.1989, efem.).

19 de fevereiro de 1945 – Apresenta-se o novo projeto do Cinema Batalha, do arq. Artur Andrade. O balcão em cimento armado será uma novidade (“O Tripeiro”, fev.1995, efem.).

19 de Fevereiro de 1948 – Nasce Fonseca, em Matosinhos, guarda-redes do F.C.Porto, como pode ser lido na sua biografia no nº 38 (1978) da revista Ídolos, na BPMP, cota: P-A-432.

19 de fevereiro de 1955 – Entrudo de Carnaval com 2,8º negativos (“O Tripeiro”, fev.2005, efem.).

19 de fevereiro de 1957 – Reabertura do Cinema Trindade (“O Tripeiro”, fev.2007, efem.).

19 de fevereiro de 1958 – Causa sensação o caso de um pobre desgraçado que procurava comida no lixo e é absolvido pelo juiz Quintela (“O Tripeiro”, fev.2008, efem.).

19 de fevereiro de 1959 – Morre o escultor Diogo de Macedo, de Gaia, diretor do Museu Nacional de Arte Antiga. Morrem 5 marítimos da Barra do Douro e 2 da Póvoa, tendo, os que se salvaram, nadado hora e meia (“O Tripeiro”, fev.2009, efem.).

19 de fevereiro de 1960 – Morre, na sua casa em Belinho (Esposende), o poeta António Correia de Oliveira (“O Tripeiro”, fev.2010, efem.).

19 de fevereiro de 1963 – Em reunião da C.M. do Porto discute-se sobre os mais de 20 kg que pesam os cestos de frutas transportados pelas mulheres. Aprova-se o Plano para alargamento da rua Duque de Loulé e Zona Industrial de Ramalde (“O Tripeiro”, fev.2013, efem.).

19 de fevereiro de 1974 – Nasce, no Porto, Joana Areal, realizadora com vários prémios. Biografia em “O Porto e as suas Mulheres” de Beatriz Pacheco Pereira, p. 96-103.

CEMITÉRIO DE ALDOAR. Bol. C.M.P, 39(2001) 17/8/1974: 706 (aberto concurso para a 2ª fase da obra de acesso ao cemitério; Acta da Reunião de 19/2/74);

19 de Fevereiro de 1975 – Morre o arquiteto Francisco Keil do Amaral, fundador da Arquitetura Paisagística Portuguesa e do Parque de Monsanto. Se quiser saber mais sobre ele pode consultar na BPMP as cotas D8-12-2[55], 72AMARk e 7b 004455. Se quiser saber o que há de arquitetura na BPMP, pesquise no catálogo online da BPMP, disponível em http://bibliotecas.cm-porto.pt, por assuntos: Arquitetura – Periódicos. Porque uma biblioteca sem assuntos é um cemitério de livros (inacessíveis aos leitores).

19 de Fevereiro de 1997 – Morre o cientista e professor Rómulo de Carvalho, também conhecido pelo pseudónimo poético de António Gedeão, de quem existem mais de 130 obras no catálogo online da BPMP.

19 de fevereiro de 2000 – Baptismo, na Sé, de Dinis de Santa Maria Miguel Gabriel Rafel Francisco João de Bragança, o 3º filho de D. Duarte de Bragança e D. Isabel de Herédia, com 500 convidados, entre eles os príncipes da Bélgica (Filipe e Matilde), após o que se seguiu uma receção no Palácio da Bolsa e uma festa popular no Mercado Ferreira Borges, onde o ponto alto foi a distribuição de um bolo com 150kg de peso, por mais de 100 escuteiros (JN, 20/2/00: 13).

19 de Fevereiro de 2016 – Morte de Umberto Eco, filósofo e escritor italiano que escreveu: «Um dos mal-entendidos que dominam a noção de biblioteca é o facto de se pensar que se vai à biblioteca pedir um livro cujo título se conhece. Na verdade acontece muitas vezes ir-se à biblioteca porque se quer um livro cujo título se conhece, mas a principal função da biblioteca, pelo menos a função da biblioteca da minha casa ou da de qualquer amigo que possamos ir visitar, é de descobrir livros de cuja existência não se suspeitava e que, todavia, se revelam extremamente importantes para nós» (ensaio A Biblioteca, dado no Curso de Bibliotecário na Universidade de Coimbra).
--
O Cronista
Morada no Sonho das Meninas Lindas


Sem comentários:

Enviar um comentário