quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

XII FESTIVAL DE SABORES DO AZEITE NOVO 2017

  

O Programa anexo anuncia o XII Festival de Sabores do Azeite Novo 2017.
Inserido no mesmo, no dia 28 de Janeiro (Sábado), pelas 15H30, irá ser apresentado, no Auditório do Museu Municipal Teixeira Lopes – Mirandela, o livro «Maria Castanha - Outras Mememórias», da autoria do Dr. Jorge Lage, incansável investigador do tema (sobre o mesmo, com este volume completa a tetralogia que faltava) e colaborador assíduo deste espaço online.







JORGE LAGE
MIRANDELA, «Poço de Azeite»

(Clique para aumentar)
( …) Mirandela era apelidada de «Poço de Azeite», por ficar entre vales e ser o concelho transmontano que mais azeite produz.
O Azeite de Mirandela (e de alguns concelhos vizinhos), foi considerado, por dois gurus mundiais (um italiano e outro francês (?) que visitaram Mirandela, superior aos azeites franceses e italianos.
O melhor azeite Transmontano/Mirandelense é consequência das características edafoclimáticas em que se produz (bom clima e boa terra), boas castas (verdeal, cordovil, cobrançosa e bical, entre outras) e da sua produção a frio em lagares modernos.
Mas, em Mirandela não se produz só o melhor azeite do mundo, também se fabricam na «Serralharia, Joaquim Silva & Herdeiros», dos melhores esmagadores ou moedores de azeitona. Outrora, toda a tecnologia dos moedores de azeitona vinham de Espanha para Portugal e hoje esta empresa mirandelense fabrica lagares trituradores que abastecem o mercado nacional e exporta para Espanha.
Como foi possível? O Eng. André Silva, gerente da empresa nunca diz que não a qualquer encomenda que recebe. Risca, calcula e executa com os colaboradores as peças e engrenagens, por mais sofisticadas que sejam. Disse-me um dia: - nunca viro as costas ao trabalho. Nunca digo que não a qualquer encomenda. Quando queremos tudo se faz.
Este Engenheiro empreendedor já devia ter merecido um destaque e um obrigado dos políticos que nos visitam. Espero que o Presidente Marcelo, se visitar Mirandela, se lembre dele um dia que visite Mirandela.
Muito do azeite produzido em terras transmontanas e alto-durienses segue para França e Itália, em auto-tanques, e depois embalado como se lá fosse produzido, o que é uma fraude e um logro para os consumidores internacionais.
Se visitar Mirandela, lembre-se que pode ali ou em alguma aldeia do concelho do melhor azeite.

Jorge Lage

Sem comentários:

Enviar um comentário