quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Oliveira *

 
Oliveira

Sentes o peso levíssimo, o volume,
o voo de lume desta oliveira, peso
que um insecto arrastaria? A luzinha
da capela que víamos pela fresta da
porta onde tínhamos de fechar uma
vista, concentrando as perguntas na
outra? O tempo é essa palhinha
inverosímil que a formiga leva para
a toca.

 
* António Cabral in Antologia dos Poemas Durienses, edições Tartaruga - 1999.
(Enviado por Jorge Lage)

Sem comentários:

Enviar um comentário