quinta-feira, 7 de julho de 2016

Feiras do Livro provincianas em Trás-os-Montes e Alto Douro?



JORGE LAGE
Muito falam os nossos autarcas contra o centralismo de Lisboa (e do Porto, no Norte), acusando os sucessivos governos de se esquecerem da província ou do Portugal Interior. Fui convidado, há algum tempo para duas Feiras do Livro de municípios transmontanos e o que vi, nesses e noutros eventos culturais livreiros, por que passei, deixaram-me incomodado. E depois de ver que as promoções dos livros nesses espaços são um fugaz arremedo das feiras do livro de Lisboa e Porto. O que se ali vê pouco tem a ver com as nossas pequenas realidades livreiras locais ou com o que publicam os nossos corajosos autores na província. Por misericórdia ou simpatia um ou outro autor conseguirá expor meia-dúzia de livros seus ou de amigos. O resto é um grande pacote das grandes e médias editoras nacionais, com destaque para as mais poderosas e que nos impingem tanto o bom e como o medíocre. O que me podem dizer a mim certos livros de autores nacionais da moda, dos média ou do capital? Sim! O que é bom, é-o através dos tempos e não por anúncios promocionais. Entendo que antes de conhecermos os livros nacionais por medida devemos aproveitar e conhecer os nossos a retalho e até grandes obras. Que nos dão mais cultura, mais saber e podem gerar desenvolvimento. O desenvolvimento passa ainda por se dar a primazia aos nossos agentes culturais ou, pelo menos, trata-los em pé de igualdade com os livreiros por medida, que são, muitas vezes, meros intermediários, das poderosas editoras que quase tudo controlam. Estar oito dias numa terra estender os livros por uns metros quadrados, vendê-los por consignação e regressar às origens do litoral pouco custa. Para os municípios é mais cómodo, só tendo de ceder o espaço. Mas, no dia-a-dia são as pequenas e médias livrarias e quiosques locais que aguentam os 365 dias do ano, com muitas dificuldades, e gerando, a custo, um ou outro posto de trabalho. Por isso, digo que estas feiras do livro municipais, que ostracizam ou se envergonham dos seus livreiros, me incomodam e me deixam a pensar que, muitas vezes, os nossos autarcas fazem o mesmo que os donos do poder central, voltando as costas aos seus. Neste caso, aos seus agentes culturais ou livreiros e até aos seus escritores. Livreiros que deviam ter um tratamento mais promocional e no concurso de aquisição de livros escolares ou de acervo documental municipal ser-lhe dada a primazia. Não é só quando se fecha uma esquadra, uma agência bancária, um balcão dos CTT ou uma escola que o interior sangra de uma pobreza agonizante. Qualquer vila ou cidade do interior que vê fechar uma livraria, no seu espaço territorial, fica mais pobre. E pobres de espírito ou mesquinhos serão os políticos que não entendem a cultura livreira e editorial locais como factor de desenvolvimento. Neste campo, há já um movimento associativo de livrarias transmontanas e alto-durienses que se encontram e que promovem a venda dos livros dos nossos escritores. Este grupo de agentes culturais ou livreiros nasceu por iniciativa do António Alves, da livraria vila-realense «Traga-Mundos», inspirado num movimento similar a sul do rio Tejo. Faz algum sentido, numa localidade não ter expostos os livros dos seus poucos autores? Para que o movimento de livreiros da nossa região cresça, deixo, novamente os seus endereços ou contactos e espero que em Mirandela e pelo distrito outros adiram aos encontros. Não há custos. Mas um livro local que um livreiro não tem pode tê-lo outra livraria e ajudá-lo a vender. Será normal que, por exemplo, escritores de Mirandela nunca tenham vendido um livro numa feira do livro local ou numa livraria mirandelense? A lista das livrarias transmontanas que cooperam entre si e que volto a divulgar: Traga-Mundos-traga.mundos1@gmail.com, 259103113; Poética edições –virginiadocarmo@sapo.pt, 960039138; Rosa d’Ouro –rosadouro@sapo.pt, 273331602; Pap.ª e Livr.ª Dinis - geral@papelariadinis.pt ou 278713056; Livr.ª Branco –livrariabranco@sapo.pt, 259322829; e Livr.ª e Pap.ª Aguiarense –lpaguiarense@hotmail.comou 259401114.

Sem comentários:

Enviar um comentário