terça-feira, 26 de julho de 2016

Castanheiro *


O melro desprende-se do galho como
um sátiro pinta-nos a carvão

Saltei já esta fogueira com cem guerreiros
celtas agora

circundo-a  com a mão na tua
anca

O castanheiro assiste velho
patriarca atento à ânfora
do teu pudor ao vinho novo.










* António Cabral in Antologia dos Poemas Durienses, edições Tartaruga - 1999.

Foto de Jorge Lage: «Castanheiro do Valzinho» ou «Castanheiro da Fonte» (com cerca de 800 anos) e Julieta Camba – Castanheira da Serra, freguesia de Fajão-Vidual, concelho de Pampilhosa da Serra (do Açor), Outono de 2015.

1 comentário:

  1. Um monumento desconhecido do património natural português.
    Muito obrigado pela partilha!
    João Azenha

    ResponderEliminar