sábado, 3 de outubro de 2015

Morreu o cartoonista José Vilhena

                                        Morreu o cartoonista José Vilhena - Observador


 Morreu o cartoonista José Vilhena, vítima de Alzheimer. Tinha 88 anos. Foi um dos principais nomes da caricatura em Portugal. O seu trabalho foi marcado sobretudo pela sátira política, tanto no Estado Novo como já em democracia. Nasceu a 7 de julho de 1927, em Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda. Aos dez anos foi estudar para Lisboa. Depois de cumprir o serviço militar obrigatório, frequentou o curso de Arquitetura na Escola de Belas Artes do Porto. Iniciou a sua carreira em 1955, quando fundou o jornal “O Mundo Ri”. Nessa altura, o seu trabalho também apareceu no Diário de Lisboa. Nos anos 60 editou uma série de livros de bolso humorísticos de sua autoria (além de ilustrar, também escrevia) que eram distribuídos pelo país inteiro, quase sempre pelas tabacarias. Alguns desses livros, mais de 70, e entre os quais 56 com a sua assinatura, foram censurados e apreendidos antes da “Revolução dos Cravos”. Durante o Estado Novo foi preso três vezes e foi várias vezes chamado a responder pelos livros que editava e vendia de forma clandestina. Num dos relatórios da Direcção-Geral de Segurança (antiga PIDE) a um destes livros, “Gente bem”, o responsável pela avaliação da obra descreveu-a como um “embrechado de imoralidade e amoralidade” e disse que esta mantinha a mesma linha dos trabalhos anteriores de Vilhena: “Marcadamente anti-social inconvenientíssima [sic]”. “Parece-me não poder haver dúvidas que seja de proibir”, concluiu.

Sem comentários:

Enviar um comentário