quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Estalinismo de volta na Ucrânia


Vladimir Putin não tem autoridade moral e muito menos ética para aconselhar seja o que for. Foi ele o causador da tragédia (que agora alimenta) quando, à moda dos ditadores, anexou a Crimeia. 
Putin jamais desistirá da primeira Rússia (Kiev). A não ser que seja forçado. E, neste aspecto, só a Europa e os Estados Unidos da América têm uma palavra a dizer.

O território que anexou (a Crimeia), juntamente com uma vasta parcela da actual Ucrânia (julga-se que incluía Kiev), já foi um estado hebraico (judaico) durante um século.
Esta região possui um valor cultural inestimável, o qual para Putin, um descendente de Estaline (causador das maiores tragédias humanas), pouco ou nada vale. Para Vladimir o que interessa é a fronteira entre a Rússia e a Europa.

Sem comentários:

Enviar um comentário