segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Jorge Lage - Bem comer tendo em conta a qualidade e o preço (Notas de Rodapé (111)

´

Jorge Lage

5- Bem comer tendo em conta a qualidade e o preço – A meio do mês de Junho, instalei-me, com a família, numa «vila» de um «resort» próximo de Armação de Pêra. As refeições aconteciam umas em casa e outras em restaurantes. O meu filho propôs irmos comer o célebre «frango da Guia» n’«O Teodósio» (289561318). Mas, os frangos parecem ser da raça dos garnizés. O mais fora do comum são os minúsculos pedacitos do minúsculo frango assado que chega à mesa e assim opera-se o milagre da multiplicação. Gostei mais da salada mista bem temperada e das batatas fritas aos palitos. Também me agradou o serviço de atendimento. Adorei de comer, desde as entradas ao peixe fresco de mar escalado na brasa, no Restaurante do Clube de Pesca Náutica e Desportiva de Albufeira, na Orada, Estrada do Farol (289592332), encerra às terças). Tem bom serviço e muita simpatia. As entradas e o peixe grelhado tornam este lugar de pasto de eleição regional. Por isso, caro leitor, se passar por lá, para almoçar ou jantar, vá cedo para arranjar mesa e não ficar na lista de espera. Parte das minhas férias temporãs, foram passadas em Lisboa, com escapadela à Região do Oeste. Visitei o renovado espaço do Mercado da Ribeira, junto ao Cais de Sodré. Vale a pena ver como se pode inovar, casando bem o antigo edifício com a inovação introduzida, sem assassinar um espaço do mercado tradicional alfacinha e património urbanístico. O resultado está à vista como património arquitectónico e como local de comércio e gastronomia. Não deixe de visitar este espaço comercial, que soube renunciar à descaracterização ou à destruição. Hoje é um espaço de referência para quem nos visita e que prova que saber potenciar um local tradicional, não deve passar pela destruição do antigo. Ali pode petiscar, tomar uma refeição ou saborear um bom copo de vinho. Nesta maravilha renovada e inovada senti uma grande saudade do antigo Mercado Municipal da Praça de Mirandela e que podia ter renunciado à destruição de tão nobre espaço, se não sucumbisse à lógica falida do cimento. Pior me sinto quando penso na criminosa destruição do Mercado Municipal de Chaves, que hoje podia ser um espaço cultural e de comércio tradicional de referência contra a decadência urbana que afecta as cidades trasmontanas. Faz-me lembrar que muito do atraso do Porto é fruto da falta de visão dos que têm decidido o destino do património urbano tripeiro. Por isso, saúdo a luta de alguns portuenses contra a descaracterização do mítico Mercado Municipal do Bolhão. Visitem o renovado Mercado da Ribeira, em Lisboa, e poderão concluir que no Porto há «rios» que respeitam e potenciam o património histórico urbano e outros que o destroem e assoreiam pela lógica do betão e que rima com destruição. Esquecia-me de sugerir uma visita à amuralhada vila de Óbidos. Uma pérola rara do nosso património histórico e urbano e que regurgita de comércio e arte. Prove a famosa ginja de Óbidos, mas confira bem o que compra e o que paga.

Jorge Lage – jorgelage@portugalmail.com – 26JUN2014

Provérbios ou ditos:
1 - Julho quente, seco e ventoso, trabalha sem repouso.
2 - Uma sebe dura três anos, três sebes um cão, três cães um cavalo, três cavalos um
 homem, três homens um corvo, três corvos um elefante.
3 - Em ano de fome não há ruim pão.




Sem comentários:

Enviar um comentário