domingo, 10 de junho de 2018

10 de Junho, Dia de Portugal, do Presidente e das medalhas.



Por: Costa Pereira Portugal, minha terra

Perdi o gosto por festejar festas cujo propósito é ganhar votos. Já no quase após 25 de Abril dei sinais que forças estranhas estavam empenhadas em tomar conta dos destinos de um país que deu novos mundos ao mundo quando em Junho de 1979, em Noticias de Chaves, escrevi: “ Mais uma vez o Dia de Portugal vai ser comemorado e efusivamente festejado em todos os cantos onde existam portugueses de têmpera e que o vírus anti – patriotismo não conseguiu infetar. E prosseguindo situava: “ Vila Real vai ser este ano o fulcro das celebrações da histórica efeméride, o que para nós (transmontano queria dizer) é motivo de especial regozijo derivado ao facto do acontecimento pretender mostrar a sua verdadeira imagem, fugindo para tal dos atoleiros da política oportunista de modo a reencontrar-se com a realidade patriótica e camoniana”. Mais não transcrevo, pois o passado é passado, e o presente pede que se cuide dele, se fale e digam verdades que muitas pessoas gostam de ouvir e outras não. A mim interessam-me tanto umas como outras desde que leiam e não comentem sem primeiro ler e reler. Data que já vem do tempo do Estado Novo, manteve-se, agora por decreto-lei, publicado em 02 de Março de 1978. Foi a Guarda, ainda no período pós-revolucionário, e com o general Ramalho Eanes na presidência. Depois foi Portalegre, Leiria, Funchal, Figueira da Foz, Lisboa, Viseu, Porto, Évora, Covilhã, Ponta Delgada, Braga, Tomar, Sintra, Coimbra, Lagos, Chaves, Aveiro, Beja, Angra do Heroísmo, Bragança, Guimarães, Setúbal, Viana do Castelo, Santarém, Faro, Castelo Branco, Elvas, Lamego e Paris (França), Porto e Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro). Este ano o 10 do Junho contemplou os Açores com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, onde ambos se vão encontrar. Ao fim da tarde o PR segue para os Estados Unidos da América já que as comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas se vai prolongar até segunda-feira, dia 12. São assim os nossos políticos: na luta da caça ao voto não há quem os bata.

Sem comentários:

Enviar um comentário