sábado, 29 de novembro de 2014

Os "intocáveis" de Eliot Ness


“Podemos conseguir muito mais com uma palavra simpática e uma espingarda do que com uma palavra simpática apenas”.
Al Capone


Eliot Ness
Em Junho de 1931, Al Capone foi formalmente acusado de fuga aos impostos e em Outubro desse ano foi considerado culpado e condenado a 11 anos de prisão.
Capone nasceu em Brooklyn, em Nova Iorque (1899-19479. Era filho de um barbeiro italiano que chegara à América com a mulher em 1894.
Aos 14 anos Alphonse (“Al”) Capone entra para o mundo do crime. Torna-se o protegido de um patrão da máfia, Johny Torrio, “a raposa”.
Al Capone
A lei seca de 1920 proporcionou ao mundo do crime da América um conjunto de oportunidades. Capone tornou-se um gangster conhecido, praticando crimes violentos. William McSwiggen, promotor da Justiça, dá-lhe caça. Embora o não tivesse apanhado como assassino, contribui para que a opinião pública se aperceba de quem , na realidade, é Capone, colocando-o no topo da lista dos candidatos a “inimigo público número um” dos Estados Unidos.
Em 1925 “a raposa” reformou-se e Capone sucede-lhe como líder do sub mundo de Chicago. A sua fortuna ostentatória vinha de redes de protecção, jogo ilegal, contrabando de álcool e prostituição.
O FBI consciente de que era impossível acusá-lo de qualquer dos seus crimes violentos toma a decisão engenhosa de o acusar de falta de pagamento de impostos.
O governo federal nomeou um funcionário da Tesouraria, Eliot Ness, e uma equipa de agentes escolhidos a dedo para perseguirem “Al".
Foram estes “intocáveis" que o enviaram para a penitenciária de Atlanta. Em 1934 foi transferido para Alcatraz. Em 1939 foi libertado (antes de terminar a pena). Uma sombra daquilo que tinha sido, retirou-se para uma vida de obscuridade, acabando por morrer de sífilis em 1947, completamente esquecido.



Sem comentários:

Enviar um comentário