segunda-feira, 9 de julho de 2018

O trasmontano e Flaviense, D. António Marto, Bispo de Leiria e Fátima, foi nomeado Cardeal


JORGE LAGE
É sempre com satisfação que vejo os transmontanos destacarem-se pela positiva e a nomeação de D. António Marto, bispo de Leiria e Fátima, para cardeal é o mais alto cargo da Igreja Católica, a seguir ao Papa. Dia 29 de Junho o Papa Francisco vai reunir o consistório ou concelho cardinalício para rectificar a nomeação de dezena e meia de cardeais, onde se conta Sua Eminência Revma., D. António Marto. Esta nomeação prestigia os católicos portugueses, mais os que no dia-a-dia e na sombra dão o melhor de si em prol das comunidades, e ajuda a elevar Portugal no mundo. Cruzei-me com o Cardeal António Marto e cumprimentá-mo-nos num primeiro dia de Novembro de 2003 (?), quando eu, como convidado, descia as escadas da Escola Básica de 2.º e 3.º ciclo de Celeirós – Braga e o então bispo auxiliar da arquidiocese de Braga subia as mesmas escadas numa visita pastoral à escola. O seu aniversário natalício ocorre um dia antes do meu (6 de Abril) e D. Marto soma mais um ano que eu. Depois, vi-o nomeado bispo de Viseu e, passados dois anos, tomou posse da diocese de Leiria-Fátima onde se manteve 12 anos e agora sobe ao posto cardinalício. Após a nomeação, a 21 de Maio, p.p., em Roma, o douto missionário e escritor, cidadão do mundo católico, Irmão Teófilo Minga (de Carção – Vimioso e viveu em Santulhão), criava o poema «Cardeal» que reza: «(…) Bispo de raízes santulhanas,// Embora nascidos em outros orientes.// (…) É chamado a maior responsabilidade// Dentro da Igreja: Braga, Viseu, Leiria,// Onde o Pastor acolhe, em toda a verdade,// A dor das suas gentes ou a sua alegria.// Um pouco mais: atento à Igreja Universal!// Para isso Francisco o chama a ser Cardeal.» Os pais do Cardeal trasmontano são de Santulhão e fixaram-se em Tronco - Chaves, onde nasceu D. António Marto. O Irmão Teófilo Minga refere: «(…)  eu sei que a “dignidade de Cardeal” não lhe vai fazer perder em nada a sua simplicidade e a sua proximidade com as pessoas». Felicidades e sucessos, D. António!

Sem comentários:

Enviar um comentário