sexta-feira, 22 de junho de 2018

Se calhar até é


Por: Costa Pereira Portugal, minha terra

Pessoa anónima comentou um post meu em que me acusava do hábito de misturar nos meus trabalhos muitos assuntos, o que significava não estar a dizer nada uma vez que não levava o tema inicial até ao fim. São formas de ver e o prisma desse senhor ou senhora ronda por aí. O meu é outro, e entendo que pelo meu se exige mais miolo cerebral para descer ao fundo das questões que abordo, e que para muitos se não estão esquecidas se procuram abafar. No caso do assunto que mereceu o tal comentário.
Por isso uso muito a miscelânea um substantivo feminino que significa mistura, compilação, colectânea, arrolamento. Não me sinto desgostoso por não agradar a todos quantos me lêem, nem seria de ficar satisfeito ver todos a dizer que gostam daquilo que escrevo. Ou eu, ou eles andávamos muito próximos...do Bruno de Carvalho.
Mas vamos a deixar o futebol para o Cristiano Ronaldo resolver, e todos os que com ele jogam na selecção, pois todos sabemos que o Ronaldo sozinho não consegue fazer nada. E nós que temos aí o São João à porta acontece-nos o mesmo se não houver sardinhas, nem fogueira para as assar e força para saltar sobre ela.
Na dúvida de ir ou não passar por um arraial do meu bairro alfacinha, aproveitei a véspera de regressar a Lisboa para no Casal dos Afonsos tirar a barriga da miséria com um fartote de sardinha que me soube às mil maravilhas. E já ficou por vez, pois no Sábado, dia 23, a Bajouca Centro tem o seu tradicional festejar de São João, e uma vez mais em casa da Lígia Afonso. Que pena lá não estar. É com esta miscelânea que me dá gosto fazer notícias e com muita sorte que desta vez nem de política falei. Ou será que também tudo isto é política? Se calhar até é.

Sem comentários:

Enviar um comentário