sexta-feira, 18 de março de 2016

De Besteiros a terras de Basto.

  Por: Costa Pereira Portugal, minha terra. 

Freguesia do concelho de Tondela, Distrito e Diocese de Viseu, Campo de Besteiros é uma antiga paroquia que nos tempos medievais era designada “de santa Ovaya in termino de Balistares”. Sediada no sopé sul da serra do Caramulo, a freguesia projeta-se pela encosta até aos limites divisórios com a do Guardão, a que pertence aquela localidade, famosa pelos seus sanatórios, e Museu do Automóvel. Desta zona que por mais do que uma vez já visitei, pesando para tal o facto do meu progenitor ter falecido e ficar sepultado no cemitério do Caramulo. E também  por em Campo de Besteiros ter por amigo o generoso Dr. João Almiro, fundador dos Laboratórios Almiro, ou Labestal Farma - Produtos Farmacêuticos, Lda. Terras digna de ser visitada,  digna de especial demora a capela de Nossa Senhora do Campo, classificada como imóvel de interesse público.

Pinhão é uma freguesia do concelho de concelho de Sabrosa que foi das primeiras do distrito de Vila Real a ter iluminação publica, e a primeira a ter telefone público, correio e água canalizada. Localizada no coração da  Região Demarcada do Douro, esta linda povoação duriense, tornada freguesia em 1933, vive essencialmente do turismo pois muitos são os visitantes que apreciam a sua gastronomia, costumes e tradições, as adegas e os socalcos das vinhas da região.

 Na EN.312-1 que de Mondim sai em direção a Lamas de Olo, passando por Vilar de Ferreiros temos no Bilhó a aldeia  típica do Bobal, que no seu combativo filho Joaquim de Carvalho tem assérrimo defensor. Como o Bobal, também a vizinha aldeia da Anta merece ser referenciada pois consta em obras de Camilo, como por exemplo Doze Casamentos Felizes e Memórias do Cárcere. Aos povoadores de Ermelo e Bilhó concedeu carta de foral D. Sancho I, em Abril de 1196. Tem feira mensal de Gado, a 27.

É  com o Monte Farinha e as Fisgas de Ermelo um dos principais atrativos turiticos do concelho de Mondim de Basto.  Também aqui a servir de linha divisória entre o Trás-os-Montes e o Minho, o Rio Tâmega é a sedução dos jovens e dos mais  idosos que sobretudo no Verão tem nele melhor regalo para a pratica de natação  e  saudável  lazer que as margens do Tâmega oferecem.  Ali descem da montanha e de  terras vizinhas de Basto forasteiros que escolhem este trecho vizinho da Ponte de Mondim,  imóvel de 1882, para se banhar no rio, rio ao qual   o poeta Jales de Oliveira já consagrou uma sua obra.  Matar este rio é matar a beleza natural de Mondim.

Com a sua feira bimensal, os oito (8) e os dezanove (19), e a famosa e concorrida “Feira Anual” de “19 de Abril”, Fermil é uma das mais belas povoações da região de Basto. Após notória decadência comercial que sofreu devido ao impedimento da venda e compra de animais trabalho e abate, tudo indica que o pior vai passar. Quem o sugere é o presidente da Camara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva que não escondendo essa decadência, ao mesmo tempo recorda e louva o labor dos actuais fermilenses, quando diz: “fizeram um trabalho digno permitindo uma alavancagem de uma feira que começava a perder-se. Esta moldura humana é sinal de que  o trabalho foi bem feito. Continuaremos a trabalhar em parceria para voltar a dar a este certame os momentos áureos vividos em tempos, ”.  E eu que bem os senti e vi in loco, na padaria do meu padrinho Esmeraldo Alves de Carvalho, ao pé  da “feira dos porcos”, a “feira do fundo”  como também se dizia. Hoje a terra do Barão de Fermil, agora vila de Fermil, continua a ser para mim aquele “ Meu Fermil amado, doce abençoado…” da letra do seu hino. O recordo neste post consagrado a terras que se estendem de Besteiros a terras de Basto.

Sem comentários:

Enviar um comentário