segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Maria, a mulher mais poderosa do Mundo e arredores


Na edição norte americana de Dezembro (2015) da National Geographic (The Virgin Mary - National Geographic Magazine), Maureen Orth discorre em artigo sobre o papel e a influência da Virgem Maria no Mundo. Fundamentada em opiniões de especialistas e místicos e nas pesquisas das suas viagens, a vários pontos do planeta, como Bósnia-Herzegovina, a França, o Egito e o Ruanda, onde dialogou com videntes, visitando locais onde decorreram algumas das aparições mais famosas, Maureen Orth, Doutorada em teologia na Universidade de Dayton (EUA), compreendeu como esta mulher havia influenciado a vida de gerações, através da graça ou da cura.
No concilio de Éfeso (431), Maria foi oficialmente reconhecida como “Theotokos” (Mãe de Deus). E desde então, conclui Orth: “nenhuma outra mulher tem sido tão exaltada.”.
A Doutora Orth relembra que a Virgem de Guadalupe deu identidade a uma nação, o México e que em Kibeho, no Ruanda (África), anunciou a três meninas, no ano de 1980, o genocídio de 1994, quando se apresentou como a “Nyina wa Jambo”, a Mãe do Verbo. Anathalie Mukamazimpaka, uma das jovens, relata que Maria lhe dissera que Ela “aparece a quem quer, quando e onde deseja”; “Ela pediu-nos apenas para amá-la tanto como Ela nos ama.”. Conhecedora do intimo humano aconselha que sem arrependimento e renovação dos corações, não há justiça nem paz.
Orth acrescenta que Maria é “esperança e consolação de muitas pessoas, incluindo muçulmanos”, pois para estes Maria é “a mulher mais santa de todas as mulheres”. O seu nome, escreve a Doutora Orth, aparece mais vezes no Corão do que na Biblia.
Orth explora com ligeireza a questão de Maria na religião muçulmana, mas o suficiente para dizer que a Mãe de Jesus é uma “ponte que deveria ser explorada”, não apenas entre religiões, num contexto de guerras culturais e económicas, mas também entre a religião e a sociedade, onde a mulher recupera lentamente o seu lugar, precisando de mais atenção quando opta por ser mãe.      Armando Palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário