sábado, 24 de outubro de 2015

A farsa de António Costa


No jornal Público de hoje, Bagão Félix diz sobre António Costa: “Perdeu em tudo: 1) no “duelo” com Passos Coelho para PM; 2) ficou a 6 pp da coligação, depois de quatro anos de austeridade (o que é obra); 3) não captou os desiludidos com o Governo, que foram para a abstenção; 4) perdeu votos para o BE; 5) perdeu para Seguro, que, “coitado”, até ganhou.

E Pulido Valente no mesmo jornal expressa-.se desta forma: “ “O que lhe convém [a Passos] é isolar Costa e a sua gente e assistir com tranquilidade ao desastre que eles vão criar. Nem bom dia nem boa tarde, eles que se arranjem.
A solidão do bravo e coleante secretário-geral do PS e das magníficas criaturas que o empurram talvez não impressionem o português comum. Mas, sem dúvida, aquilo que faz falta ao português comum é conhecer à sua custa a nossa querida “esquerda" e a maneira como ela funciona. Os sound bites da televisão e a gritaria dos debates não chegam para conhecer em profundidade a natureza e a beleza de tão extraordinário bicho. Se conseguirem não se dirigir a esse bicho durante a oposição (que já começou), Passos Coelho e Paulo Portas irão inevitavelmente ganhar, quando o próximo Presidente da República acabar com a farsa que António Costa montou e que, no fundo, mais de metade dos portugueses desprezam”.


Dadas as circunstâncias, talvez reste ao Presidente um governo de iniciativa presidencial.



Sem comentários:

Enviar um comentário