quinta-feira, 31 de maio de 2018

O Correio do Eduardo Botelho


Jorge Lage
O Eduardo Botelho tornou-se, há algum tempo, um interessante colunista do Notícias de Mirandela, acrescentando mais valor com os seus bons e oportunos textos de que se destaca «Gentes da Minha Terra», para além deste vai desfiando outras memórias mirandelenses que já são uma saudade para os mais velhos. O texto «Quando os CTT se demitem ou atrasam a levar a carta a Garcia quem o Faz?» em que nos fala de como se processava a distribuição do correio no nosso concelho décadas atrás e alguma ineficácia na distribuição da correspondência, onde os CTT já foram um modelo de bem servir a população. Esta situação agravou-se com a privatização dos CTT e até parece estar em marcha uma vergonhosa descapitalização da empresa ao serem distribuídos dividendos pelos accionistas que a empresa não teve. O seu extenso texto faz-me reflectir sobre o papel de alguns colaboradores que pouco se interessam nos seus artigos pela região. Assim, num jornal local ou regional como este devem os colaboradores ter como objecto principal o concelho ou região em que está inserido, como o faz exemplarmente o Eduardo Botelho. Muitas vezes fico com a sensação que, muitos colaboradores, em vez de escreverem para os leitores, fazem-no para eles próprios ou para a sua vaidade, levando a alguns leitores só lerem o que lhes parece interessante. Os leitores fazem as suas opções de leitura, escolhendo os textos de uns e rejeitando os de outros. Dentro desta perspéctica, sempre que escrevo para o Notícias de Mirandela e faço-o há mais de trinta anos por gosto (às vezes no meio de canseiras ou doenças) me assalta sempre a pergunta? Isto interessará à maioria dos leitores? Tenho tido muitos estímulos e elogios, perguntando-me sempre se foi com sinceridade ou por simpatia. Por exemplo, numa das últimas deslocações a Mirandela, encontrei-me com o Prof. Augusto Ferreiro (de Cabanelas), com quem já não contactava desde os tempos de estudante e tentámos por a conversa em dia, dando-me, ainda, indicação de que se interessava pelos meus textos neste jornal. Fico-lhe agradecido por me dar um estímulo que é sempre uma ajuda em caminharmos em frente. Também foi esse o meu propósito ao abordar dos textos do Eduardo Botelho, informando, ainda, os leitores.

Sem comentários:

Enviar um comentário