segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Uma obra que satisfaz ler

Por: Costa Pereira Portugal, minha terra

Com amável dedicatória foi me ofertado um interessante trabalho bibliográfico de aturada pesquisa pela distinta madeirense Maria de Fátima Mendonça Teixeira Gomes. Natural do Machico, onde nasceu a 28 de Agosto de 1946, a D. Fátima é uma coleccionadora de formaturas universitárias que se deixam rever num conjunto de ocupações profissionais desempenhadas até à sua aposentação; onde além de responsável pela Acção Social do Município do Funchal – Sectores da Habitação, Infantários, Trabalhadores Municipais/Pessoal - , leccionou no Colégio de Santa Teresinha, na Escola do Magistério Primário e na Escola Secundária Francisco Franco. Autora de várias publicações, a mais recente versa à volta de uma ilustre machiqueira, que do Colégio de Santa Teresinha foi directora desde Setembro de 1954 a Agosto de 1971, a Irmã Benvinda ou Matilde de Sousa.
 Em 173 páginas, ilustradas com imagens alusivas ao tema, o texto leva-nos ao encontro duma figura madeirense que se distinguiu, como alma consagrada, no serviço ao próximo e que por isso, a autora no Ano dos Consagrados (2015) e agora no da Misericórdia(2016) quis destacar, honrando, também, entre muitas, a memória de duas personagens que, na Madeira, por amor se deram à educação da juventude, atendimento aos pobres e doentes, e que foram a venerável Irmã Mary Jane Wilson, e a Irmã Benvinda. Ambas se notabilizaram em obras de caridade e educação, patentes em: orfanato, farmácia e colégio. A vertente biográfica é evidente no labor editorial da Professora Fátima Gomes e testei-o já em obra anterior sob o titulo “Da Fé, Brotam as Obras” que D. Maurílio Gouveia prefaciou, e ela consagrou á  Vida e Obra de Maria Eugénia de Canavial. Decorridos dois anos aqui temos mais um interessante trabalho seu que como então comentei “não se pode ficar circunscrito aos madeirenses é para ser conhecido e bem divulgado”. Neste, temos de novo a distinta autora com mais um excelente trabalho de pesquisa e arrolamento que mereceu de Bispo Emérito do Funchal, D. Teodoro, as elogiosas referencias “ Felicito a autora do livro que nos conduziu pela mão desde o vale de Machico, ao colégio humilde de Santa Teresinha em Santa Luzia, ao grande monumento do novo Colégio, necessário para o crescimento cultural e espiritual das alunas, à cidade de Lisboa e à Roma de São Pedro e São Paulo, ( só faltou Jerusalém) para depois penetrar na tórrida África, e finalmente, de novo retornar à Madeira”. Uma obra que satisfaz ler e que em verso e prosa conduz o leitor às entranhas culturais, espirituais, históricas e sociais do povo madeirense.

Sem comentários:

Enviar um comentário