segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Afectos


Sua Exª o Presidente da República anda muito afectuoso. Com Costa, logo com Jerónimo e a dona Catarina (que já começaram a teatralizar a questão do Orçamento para 2017). E, em geral com o povo português. Uns sorrisos à distância, uns abraços calorosos nas deslocações pelo país, umas beijocas a senhoras entradas na idade, umas selfs (que agora viraram moda) com a juventude, um miminho ao bebezinho, umas provas nas feiras ou eventos, e por aí adiante.
Já sabemos que alguns amigos das esquerdas (que os temos, mas poucos e bons) se preparam para a seguinte pergunta: E então, há algum mal nisso? Claro que não. Até porque o Presidente sempre orientou a sua campanha eleitoral por este principio. Para além do mais é uma atitude humanizadora que se precisava.
Entretanto as esquerdas, mesmo não ganhando eleições,  lá andam na sua festança, com Jerónimo e a dona Catarina (secundada pelas manas) a teatralizarem a situação real do país. Linhas vermelhas daqui linhas vermelhas dali. Conversa fiada. Nunca se viram noutra igual desde 1976. E enquanto Costa lhes for satisfazendo aquelas cabecinhas (e egos) com a promoção dos clientes nos serviços do Estado, estarão de “pedra e cal” com aqueles que levaram o país à BANCARROTA em 2011. Sem delongas aprovarão o Orçamento para 2017. O paleio estudado até lá, é simplesmente paleio – teatro.
Entretanto, os bailes continuam com um cliente aqui outro acolá; os afectos estendem-se e prolongam-se e o país afunda-se (se é que já se não afundou). Pelo menos é o que dizem os últimos dados do INE: as exportações estavam a crescer 7,1% e agora estão a crescer 1,5%; as importações estavam a crescer 12,5%, estão a crescer 0,9%; e o consumo das famílias (o motor do crescimento, como dizia a actual governança), estava a crescer 3,3% e está a crescer 1,7%. O investimento estava a crescer 5,2% em 2015, e está agora a cair 3,1%.
Factos …

Sem comentários:

Enviar um comentário